COMUNICADO À IMPRENSA

Banco Mundial injeta $122 milhões para combater a tuberculose na África Austral

7 de Dezembro de 2016


Cimeira regional reúne-se em Maputo para explorar formas inovadoras de enfrentar a tuberculose

MAPUTO, 7 de Dezembro de 2016 - Após a aprovação pelo Conselho de Administração do Banco Mundial em Maio deste ano de US $ 122 milhões em assistência financeira para combater o flagelo da Tuberculose em alguns dos países mais afetados pela tuberculose (TB) na África Austral – Lesoto, Malawi, Moçambique e Zâmbia - a capital de Moçambique acolhe hoje o lançamento regional do projeto. O evento representa um marco no ciclo de vida do projeto e serve como uma cimeira dos fazedores de políticas e especialistas dos países acima, que demonstraram liderança e interesse em trabalhar juntos para explorar formas inovadoras de enfrentar o desafio da TB na África Austral.

Representando um terço dos países do mundo com maior carga da TB, a África Austral está no centro da dupla epidemia de TB e HIV/SIDA. Moçambique, Malawi, Lesoto e Zâmbia não são exceção. Estes países têm níveis elevados de co-infecções TB/HIV e de mortalidade relacionada, bem como casos de aumento do risco da TB multi-resistente face a um contexto de grandes e crescentes setores de mineração que contribuem para este desafio de saúde.

"O Banco Mundial reconhece que o controle da tuberculose é uma grande aposta de saúde pública e representa um desafio de desenvolvimento econômico na sub-região e, portanto, precisa de ser combatido com determinação", disse Mark Lundell, diretor do Banco Mundial para Moçambique. "Estou satisfeito por constatar que os líderes da África Austral estão a demonstrar o maior nível de compromisso e liderança para acabar com a tuberculose. Quero reconhecer a excelente cooperação entre a saúde, a mineração, o trabalho e muitos outros setores aqui representados hoje".

O projeto, sob a designação Projeto de Apoio aos Sistemas de Saúde e Tuberculose da África Austral, visa as comunidades mineiras, as regiões com elevados níveis de TB ou do HIV/SIDA, corredores de transporte e áreas transfronteiras dos quatro países-alvo. Seus principais beneficiários serão indivíduos e domicílios afetados pela tuberculose, em linha com os objetivos do Grupo Banco Mundial de apoiar os mais vulneráveis ​​como parte do seu mandato de contribuir para acabar com a pobreza extrema e promover a prosperidade compartilhada no mundo.

"A África Austral está se unindo para combater a tuberculose, um dos maiores desafios globais de doenças infeciosas", disse Tim Evans, Diretor Sênior para Saúde, Nutrição e População no Grupo Banco Mundial. "As abordagens inovadoras e a colaboração entre países contida neste projeto terão importantes lições para outras regiões no combate à TB e constituirão uma base sólida para melhorar a saúde e o bem-estar económico na região, especialmente entre os seus cidadãos mais vulneráveis".

O projeto tem três componentes que se reforçam mutuamente: prevenção inovadora, deteção e tratamento da TB; fortalecimento de capacidades de vigilância na região, diagnóstico e gestão da doença; e apoio à aprendizagem regional e inovação e gestão de projetos. Em Moçambique, por exemplo, o projeto basear-se-á especificamente nos esforços do Governo e dos parceiros de desenvolvimento para melhorar os sistemas laboratoriais e a gestão da TB resistente aos medicamentos. Através deste projeto, Moçambique irádesenvolver um centro regional de excelência para gerir a tuberculose e melhorar os seus sistemas de infraestruturas laboratoriais.

"Não podemos acabar com a tuberculose até 2030 se não intensificarmos nossos esforços onde mais importa. Precisamos alcançar, testar e tratar todas as populações vulneráveis ​​em áreas onde o controle da tuberculose é o mais fraco, incluindo comunidades de mineração, áreas com alta incidência de HIV, áreas transfronteiriças e corredores de transporte ", disse H.E. Dr. Mustapha Sidiki Kalolo, Comissário para os Assuntos Sociais da Comissão da União Africana“Congratulo-me com os países participantes do Projeto pelo seu compromisso de combater a tuberculose e reforçar seus sistemas de saúde, e o Banco Mundial por este investimento ousado que visa atacar-se a tuberculose no seu epicentro em África"

O projeto sintetiza o forte empenho dos três países no trabalho em todos os setores e fronteiras para enfrentar esses desafios de saúde. A sua preparação beneficiou de uma estreita colaboração com a Direção Mundial da TB da Divisão de HIV e Tuberculose, do Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, que prestaram apoio técnico. Espera-se que esta colaboração continue durante a implementação do projeto. O projeto também será coordenado com outros esforços nacionais e regionais relacionados na sub-região. A concepção deste projeto baseia-se nos esforços existentes no país e nas lições globais de controlo da TB, bem como na recente emergência do Ebola na África Ocidental, que demonstrou que a colaboração e a construção de sistemas podem ajudar os países a responderem melhor às ameaças atuais e novas.

Contatos com a mídia:
Em Maputo
Rafael Saute
tel : (+258) 21482300
rsaute@worldbank.org
Em Washington
Aby Toure
tel : (202) 473-8302
akonate@worldbank.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2017/034/AFR

Api
Api