COMUNICADO À IMPRENSA

Banco Mundial apoia Moçambique no melhoramento do acesso e da qualidade dos sectores do ensino superior, ciências e tecnologia.

28 de Abril de 2015


WASHINGTON, 28 de Abril de 2015 – O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou hoje um financiamento adicional no valor equivalente a 45 milhões de dólares para apoiar a implementação do Projecto do Ensino Superior, Ciências e Tecnologia  do Governo de Moçambique.

A contínua expansão da educação e o alto crescimento populacional resulta no aumento das taxas de ingresso e de conclusão do ensino primário e secundário, o que, por sua vez, aumenta a pressão sobre o acesso ao ensino superior e técnico profissional. De 2004 à 2012, o número de graduados do ensino secundário aumentou de menos de 8.000 para 41.500. O Governo de Moçambique (GdM) estima que o número de graduados do ensino secundário irá aumentar para mais de 140.000 em 2016 e poderá ainda duplicar para 280 mil em 2020.

Enquanto o sistema do ensino superior em Moçambique expandiu de apenas três instituições em 1992 para 48 em 2014, e evoluiu de um sistema totalmente público para um sistema misto incluindo prestadores privados, o nível de recursos existentes é insuficiente para atender às necessidades crescentes do sistema. A expansão do sistema levou a disposição inadequada de acesso a laboratórios, ferramentas modernas tecnológicas, e computadores e surgiram desafios em relação à qualidade no geral e a relevância da formação ministrada.

"O rápido crescimento económico de Moçambique tem aumentado a procura de graduados, mais do que a oferta tem sido capaz de proporcionar, especialmente os graduados das ciências aplicadas e engenharia, e técnicos qualificados", disse Mark Lundell, Director do Banco Mundial para Moçambique. "Promover o acesso mais equitativo à educação pós-básica é fundamental para a prosperidade compartilhada."

Mais especificamente, este financiamento da Associação para o Desenvolvimento Internacional (ADI) apoia  o programa do GdM em: (a) aumentar o número e elevar a qualidade dos graduados nos níveis de graduação e pós-graduação; (b) reforçar as capacidades nacionais de pesquisa e investigação de relevância aos sectores económicos estratégicos; e (c) reforçar o quadro institucional do país para o ensino técnico profissional. Este financiamento adicional complementa e expande o alcance do já em curso Projecto do Ensino Superior, Ciências e Tecnologia do GdM.

"Mais de 300.000 pessoas entram no mercado de trabalho a cada ano e este número poderá  aumentar para cerca de 500.000 em 2025. Preparar a nova geração de forma adequada para uma vida produtiva por meio da educação, incluindo educação técnico profissional e opções de ensino superior, é fundamental para a criação de emprego, produtividade, competitividade e redução da pobreza ", disse Ana Ruth Menezes, chefe da equipe do Banco Mundial para o projecto.

Melhorar o acesso e a qualidade do ensino superior para jovens das famílias de baixa e média renda é prioridade do GdM, por forma a promover a prosperidade partilhada qualificando os jovens daquelas famílias ao emprego bem remunerado. Este projecto está em alinhamento com as prioridades do GdM e da agenda de redução da pobreza. Ao melhorar o acesso ao ensino superior e ao ensino técnico profissional, em particular ao ensino superior de orientação profissional de curto prazo, Moçambique estará melhor posicionada para promover a prosperidade partilhada e crescimento económico global.



Contatos com a mídia:
Em Washington
Aby Toure
tel : 202 473 8302
akonate@worldbank.org
Em Maputo
Rafael Saute
tel : 258 21482300
rsaute@worldbank.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2015/427/AFR

Api
Api