COMUNICADO À IMPRENSA

Bahia visa tornar mais competitiva a produtividade da agricultura familiar

27 de Junho de 2014


O programa também expandirá o sistema de água e saneamento na área rural

WASHINGTON, 27 de junho de 2014 – Mais de 56 mil famílias (aproximadamente 200 mil pessoas) serão beneficiadas por um empréstimo no valor de US$ 150 milhões, aprovado hoje pela Diretoria do Banco Mundial. O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável da Bahia fornecerá assistência aos pequenos agricultores rurais com o objetivo de aumentar a sua produtividade e acesso aos mercados. A iniciativa também apoiará a integração econômica de grupos tradicionalmente marginalizados como as famílias chefiadas por mulheres solteiras, as comunidades indígenas e os quilombolas.

A Bahia é o estado brasileiro com a maior população vivendo na pobreza extrema (3,5 milhões de pessoas), com uma incidência especialmente elevada em suas áreas rurais (1,54 milhão). Cerca de 20% dos habitantes rurais do Brasil reside na Bahia, onde a produtividade da agricultura familiar de pequena escala é baixa e carece de técnicas modernas para aumentar a sua produção. Além disso, as fortes secas recentes prejudicaram ainda mais os cultivos.

A agricultura familiar é um dos pilares da economia rural na Bahia”, afirmou Jaques Wagner, governador da Bahia. “Este projeto foi planejado para ajudar os pequenos produtores a adotar instrumentos modernos de forma a aumentar sua produção e, consequentemente, ter oportunidades iguais para competir nos mercados mais amplos. Além disso, esta iniciativa será essencial para promover a transformação que permitirá à população rural encontrar os caminhos para deixar  a pobreza, com melhor acesso à água e ao saneamento, e menor dependência das transferências de renda governamentais.”

Figuras importantes nos domicílios agrícolas familiares, as mulheres e os jovens ainda são mal pagos e pouco representados no mercado rural. Nas cooperativas, as mulheres constituem uma minoria (37,1%). A probabilidade de seu trabalho ser remunerado também é menor. Ao elevar a produção, o projeto visa promover oportunidades iguais para as mulheres e os jovens, o que contribuirá para evitar que estes últimos emigrem.

Outra prioridade do programa é a integração dessas comunidades à Rede Estadual de Abastecimento de Água. Em 2010, apenas 38,9% dos domicílios estavam ligados ao sistema estadual e somente 6,9% da população rural tinha acesso a uma rede adequada de esgoto.

“Promover a inclusão produtiva e a integração aos mercados dos produtores rurais é a ação mais importante para ajudar os pobres a sair da extrema pobreza, e isto somente poderá se tornar realidade se a população de baixa renda e os grupos vulneráveis tiverem oportunidades econômicas iguais, afirmou Deborah L. Wetzel, diretora do Banco Mundial no Brasil. “.”

Entre os principais objetivos do projeto estão:

  • Adoção de tecnologias e equipamentos modernos para aumentar a produtividade e promover as tecnologias ambientalmente sustentáveis entre os pequenos produtores;
  • Promoção da inclusão produtiva por meio do estímulo ao empreendedorismo e às iniciativas destinadas a ampliar o acesso dos pequenos produtores aos mercados comerciais;
  • Promover o acesso dos produtores rurais aos mercados para aumentar a sua renda e reduzir a vulnerabilidade agrícola;
  • Aumento da participação de mulheres, jovens, indígenas e outras comunidades tradicionais no mercado de trabalho rural;
  • Expansão do acesso à água e ao saneamento, especialmente por meio do aumento do número de famílias conectadas à Rede Estadual de Abastecimento de Água;
  • Adoção de técnicas inovadoras para o uso eficiente dos escassos recursos hídricos e naturais;
  • Apoio às ações do governo que visam fortalecer o desenvolvimento territorial;
  • Aumento da cobertura de assistência técnica pública para os pequenos produtores agrícolas e
  • Expansão dos investimentos em infraestrutura e logística produtiva

Este empréstimo do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) para o Estado da Bahia é garantido pela República Federativa do Brasil e tem vencimento final de 30 anos, incluindo quatro anos e meio de período de carência.



Contatos com a mídia:
Em Brasília
Juliana Braga
tel : (+55 61) 3329-1099
jbraga@worldbank.org
Em Washington
Mauro Azeredo
tel : (+1 202) 458-0359
mazeredo@worldbank.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2014/612/LAC

Api
Api