Learn how the World Bank Group is helping countries with COVID-19 (coronavirus). Find Out

COMUNICADO À IMPRENSA

Banco Mundial Apoia Maior Disponibilidade de Água a Maputo e Aumenta a Capacidade do País em Enfrentar Desastres Naturais Ligados a Água

15 de Setembro de 2011




Maputo - O Conselho dos Directores Executivos do Banco Mundial aprovou no dia 15 de Setembro de 2011 em Washington DC um crédito da Associação para o Desenvolvimento Internacional (IDA) no valor equivalente a 70 milhões de USD para a implementação do projecto do Governo de Moçambique denominado Projecto Nacional de Desenvolvimento de Recursos Hídricos cujo tempo de implementação será 2011-17. O projecto beneficia igualmente de um co-financiamento paralelo na ordem de 10 milhões de USD do Programa Piloto para a Resiliência Climática, igualmente administrado pelo Banco Mundial.
 
O objective do projecto é o de fortalecer e desenvolver a gestão de recursos hídricos e aumentar a capacidade de encaixe de agua da Barragem de Corumana com o intuito de aumentar a provisão de agua a área metropolitana do grande Maputo.
 
“A aprovação deste projecto significa que o país irá melhorar a sua capacidade de resistência aos choques causados pelas cheias e secas e melhorar a capacidade de retenção da água a qual irá por sua vez aumentar oportunidades de irrigação assim como contribuir para expandir significativamente a disponibilidade de água potável para as pessoas do grande Maputo,”
disse Laurence Clarke, Director do Banco Mundial para Moçambique, Angola e São Tomé e Príncipe.“Este projecto será complementado por uma outra operação em preparação a qual irá garantir que a água da Barragem de Corumana chegue aos consumidores. Estas e outras operações em curso no sector são uma clara demonstração do nosso compromisso de longo termo com as prioridades do país.”
 
O projecto tem quatro componentes: o primeiro tem por objectivo aumentar capacidades aos níveis nacional e regional para atacar-se aos desafios da gestão dos recursos hídricos e fortalecer o quadro para o desenvolvimento de recursos hídricos no país. O segundo irá apoiar obras de construção civil e hidromecânicos para melhorar e completar a barragem de Corumana, através da instalação de comportas e obras de reparação dos pilares de betão; e da construção de um sistema da barragem com um vertedouro de emergência. O terceiro componente terá enfoque na implementação de programas comunitários assim como aqueles referentes a gestão ambiental. Finalmente, o quarto componente irá atacar-se ao déficit infra-estructural no país através do apoio na preparação de estudos de viabilidade, desenho de concursos públicos, análises estratégicas e planos de gestão de rios, e o desenvolvimento do desenho de futuros programas de investimentos em recursos hídricos no país.
 
“Estamos felizes em apoiar um projecto tão importante como este. Este é um primeiro passo com vista a uma implementação bem sucedida. As cheias e secas custaram a economia Moçambicana mais de 2 bilhões de USD nas duas décadas passadas, e nós estamos disponíveis para apoiar os esforços do governo em atacar-se a muitos desses desafios descritos acima,” disse Marcus Wishart, Responsável pelo projecto pela parte do Banco Mundial. “Finalizar a barragem de Corumana foi identificado pelas autoridades como a próxima fonte de provisão de água a zona metropolitana do grande Maputo. Por outro lado, previsões indicam que essa área irá conhecer escassez de água até 2015 a menos que novas fontes de abastecimento sejam garantidas. Para além disso, o projecto irá igualmente contribuir significativamente para o futuro económico de Moçambique.”
 
Este projecto está alinhado com as prioridades do país tal como estabelecidas na estratégia de gestão de recursos hídricos e planos de desenvolvimento de infra-estructuras do país, e contribui para os principais objectivos do Plano de Redução da Pobreza (PARP) do Governo de Moçambique. O projecto está alinhado com a estratégia do Banco Mundial para África e irá atender aos dois pilares da estratégia: a)- aumento da competitividade e emprego; e b)- vulnerabilidade e resiliência. O projecto é igualmente consistente com a estratégia de parceria do Banco Mundial para com Moçambique (2007-11), e a Estratégia de Assistência a Gestão de Recursos Hídricos de 2007.

Contatos com a mídia:

COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2012/089/AFR

Api
Api