REPORTAGEM 7 de Junho de 2019

Colocar a Educação no Centro de um Crescimento do Desenvolvimento Sustentado em Angola

Image

Cerca de 500.000 estudantes do ensino primário em todo o país deverão receber instrução melhorada até 2020.

Fotográficos: Wilson Piassa/Banco Mundial


DESTAQUES DO ARTIGO

  • Por meio de um projecto apoiado pelo Banco Mundial, espera-se que cerca de 15.000 professores do ensino primário em Angola melhorem os seus conhecimentos e competências de ensino até 2020.
  • O projecto oferece a primeira formação de abrangência nacional para professores do ensino primário em 43 anos de independência do país
  • Espera-se que 500.000 estudantes beneficiem de uma instrução melhorada até ao ano de 2020.

LUANDA, 7 de Junho de 2019 - Após 30 anos de trabalho como professora, Maria da Cruz teve alguma relutância quando lhe foi dito que tinha que participar da formação obrigatória para professores do ensino primário.

"Eu sempre achei que a capacitação periódica era importante para os professores mais jovens e menos experientes", disse a Maria, que dá aulas na terceira classe. "Agora, sinto-me satisfeita por ter participado das formações. Aprendi a trabalhar com alunos que têm necessidades educativas especiais e como mantê-los motivados. A minha forma de planificar as aulas mudou completamente como resultado do benefício desses treinamentos ”.

Maria da Cruz é um dos 15.000 professores do ensino primário que beneficiam da formação através do Projecto Aprendizagem para Todos (PAT), que visa melhorar as competências e conhecimentos dos professores, principalmente em disciplinas como matemática e português. A gestão escolar e a supervisão pedagógica também são componentes-chave do projeto apoiado pelo Banco Mundial.

O Governo de Angola mostrou que está fortemente empenhado em melhorar a qualidade do seu sistema de ensino e garantir que todas as crianças angolanas tenham a oportunidade de aprender”, afirmou Emily Gardner, Especialista Sênior em Educação e Gestora do Projecto do Banco Mundial. “Investimentos focados e contínuos na qualidade dos professores e na gestão escolar, tais como os que estão a ser feitos no Projeto Aprendizagem para Todos, são um grande passo na direção certa.

Implementado desde 2014, o projecto marca a primeira vez, em 43 anos de independência de Angola, que se implementa uma formação em serviço de nível nacional para professores do ensino primário, com o objetivo final de melhorar a aprendizagem para cerca de meio milhão de estudantes.

Para Abilio Kaluvele, um aluno da terceira classe da Escola nº 2040 no Bairro Mundial, o projecto está a dar bons resultados. Depois de ter lutado com a aprendizagem e para acompanhar o ritmo dos seus colegas de classe, ele está feliz que este ano, ela pode ler e completar equações matemáticas básicas.

"Eu não gostava de ir à escola porque as disciplinas eram muito difíceis para mim e eu não podia fazer nada", disse Abilio. “Este ano é diferente, porque agora eu entendo matemática, posso soletrar, escrever meu nome e eu entendo muitas coisas. Agora a escola é boa”.

A guerra civil de 27 anos do país destruiu as infraestruturas, incluindo as escolas e o sistema educacional, reduzindo o índice de desenvolvimento humano (IDH) de Angola (posicionado em 147º lugar entre 189 países). O IDH é uma métrica das Nações Unidas usada para medir o bem-estar de um país e seu povo através de uma combinação de educação, esperança de vida e crescimento econômico. Entre 2000 e 2017, o valor do IDH de Angola aumentou de 0,387 para 0,581. O governo está empenhado em elevar a qualidade da educação, inclusive promovendo a inclusão e a igualdade de gênero no acesso à educação.

"Um outro objetivo importante que este projeto está a tentar alcançar é a inclusão", disse Isaac Paxe, Director Geral do Instituto Nacional de Formação de Quadros da Educação, no Ministério da Educação  e Coordenador do Projeto Aprendizagem para Todos. “O Ministério da Educação tem como objetivo garantir que os alunos com necessidades especiais sejam incluídos no sistema normal de ensino. Portanto, os professores que estão a ser treinados através deste projeto estão a aprender metodologias pedagógicas diferenciadas que lhes permitirão personalizar as suas aulas com base nas necessidades específicas de cada aluno. ”

No final do projeto, em 2020, espera-se que 842 escolas primárias sejam melhor administradas, beneficiando até 500.000 estudantes, incluindo a aluna da terceira classe Esmeralda Cabueno.

 "Estou impressionada com a melhora da minha filha desde que ela ingressou nesta escola", disse Carolina Cabueno, mãe da Esmeralda. “Desde que ela começou a estudar aqui eu posso ver as mudanças. Até mesmo a dedicação dela fazendo os deveres de casa é algo que eu nunca a tinha visto fazer antes. Espero que ela possa continuar assim”.



Api
Api