REPORTAGEM

Minas Gerais e o Banco Mundial, parceiros no desenvolvimento

27 de Novembro de 2012


Image

Debbie Wetzel, diretora do Banco Mundial para o Brasil e o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia.  

Vivi Zanatta/Divulgação

DESTAQUES DO ARTIGO
  • O novo empréstimo de US$ 450 milhões ajudará a dar continuidade aos recentes avanços sociais e econômicos do estado.
  • Piso Mineiro e a pesquisa Porta a Porta (que identifica as principais necessidades de cada comunidade) serão fortalecidos com o novo acordo.
  • O estado ainda enfrenta desafios. Entre eles, reduzir a pobreza extrema no norte mineiro e lidar com secas intermitentes.

Considerado um grande reforço para as finanças públicas de Minas Gerais, um novo empréstimo de US$ 450 milhões ajudará a dar continuidade aos recentes avanços sociais e econômicos do estado. Aprovada em julho deste ano, a Terceira Parceria para o Desenvolvimento de Minas Gerais reestruturará uma dívida pública de juros altos e, dessa forma, permitirá que recursos públicos sejam liberados para uso. 

As autoridades mineiras concordaram em usar as novas verbas disponíveis para ampliar benefícios sociais e dar mais oportunidades aos pobres. Planos de desenvolvimento social, como o Piso Mineiro e a pesquisa Porta a Porta (que identifica as principais necessidades de cada comunidade), serão fortalecidos com o novo acordo, segundo o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia. 

 


" Esse empréstimo confirma nossa parceria com Minas Gerais, e é apenas um dos muitos passos que continuaremos a dar para beneficiar os mineiros. "
Hasan Tuluy.

Hasan Tuluy

Vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina

A cerimônia de assinatura contou com a presença do vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina, Hasan Tuluy, e da diretora para o Brasil, Debbie Wetzel. “Esse empréstimo confirma nossa parceria com Minas Gerais, e é apenas um dos muitos passos que continuaremos a dar para beneficiar os mineiros”, disse Tuluy. O empréstimo busca consolidar reformas orçamentárias já em curso. 

Em Minas Gerais, terceira maior economia do país, vivem 19,5 milhões de pessoas, ou 10% da população brasileira. Embora o estado tenha Produto Interno Bruto (PIB) per capita (US$ 7.749) pouco abaixo da média nacional (US$ 8.706), ainda enfrenta desafios. Entre eles, reduzir a pobreza extrema no norte mineiro e lidar com secas intermitentes. 


Api
Api