REPORTAGEM

Nova Diretora do Banco Mundial para o Brasil

5 de Abril de 2012


Image

Deborah Wetzel, com mais de 25 anos de experiência em desenvolvimento, é a primeira mulher a liderar o programa do Banco Mundial no Brasil.

Banco Mundial

DESTAQUES DO ARTIGO
  • "Espero continuar a fortalecer a grande parceria do Banco com o país".
  • Wetzel é a primeira mulher a liderar o programa do Banco Mundial no Brasil.
  • Ela tem mais de 25 anos de experiência em desenvolvimento.

Deborah Wetzel, americana com mais de 25 anos de experiência em trabalho de desenvolvimento em todo o mundo, foi escolhida nova diretora do Banco Mundial para o Brasil. Ela assumiu o cargo no 2 de abril.

Wetzel foi chefe de equipe do Grupo Banco Mundial em Washington. Anteriormente, trabalhou como Diretora de Governança e Setor Público na Redução da Pobreza e Administração Econômica (PREM, na sigla em inglês), conduzindo o trabalho do Banco em questões como taxação, gastos públicos, descentralização, reforma e fortalecimento do setor público, governança e anti-corrupção. 

“A ampla experiência de Debbie será um ativo para uma das economias mais dinâmicas, inovadoras e em rápido crescimento de nossa região e do mundo, com uma crescente influência nas questões globais”, disse Hasan Tuluy, Vice-presidente do Banco Mundial para América Latina e Caribe. “Estou particularmente feliz em tê-la de volta a uma região à qual ela está familiarizada”.


" A ampla experiência de Debbie será um ativo para uma das economias mais dinâmicas, inovadoras e em rápido crescimento de nossa região, com uma crescente influência nas questões globais. "

Hasan Tuluy

Vice-presidente do Banco Mundial para América Latina e Caribe

De 2006 a 2009, Wetzel atuou como Economista Principal e Líder do Setor PREM para o Brasil, baseada em Brasília. Durante este período, ela desenvolveu diversos programas com governos estaduais e federais para ajudar a aprimorar a eficácia dos gastos públicos e atingir melhores resultados.

“O Brasil está passando por uma fase tremendamente empolgante, com conquistas incríveis com relação à redução da pobreza, desigualdade, estabilidade fiscal e sustentabilidade ambiental, mas também com desafios persistentes”, afirmou Wetzel. “Espero continuar a fortalecer a grande parceria do Banco com o país, aprendendo com o Brasil e ajudando-o a alcançar o próximo nível de desenvolvimento para a população. Não consigo pensar em melhor hora para voltar”.

Wetzel é a primeira mulher a liderar o programa do Banco Mundial no Brasil.

Wetzel iniciou sua carreira no Banco Mundial em 1986 como consultora, ingressando no Programa de Jovens Profissionais em 1993. Durante sua carreira, ela trabalhou também na Europa do Leste e Central, Gana, Hungria, Ucrânia, Vietnã, Rússia e nas ex-Repúblicas Soviéticas, no oeste da África e Zâmbia.

Wetzel é Ph.D. em Economia pela Universidade de Oxford e mestre em Relações Internacionais pela Universidade Johns Hopkins, Escola de Estudos Internacionais Avançados. Ela é autora de diversas publicações sobre descentralização fiscal, finanças públicas, governança e assuntos subnacionais.

 


Api
Api