Esta página em:
  • Português

COMUNICADO À IMPRENSA

WB/Brasil: Personalidades brasileiras se unem pelo fim da violência doméstica no país

1 de março de 2013

O ator Cauã Reymond é um dos participantes da campanha.

 

Iniciativa tem por objetivo acabar com estigma de que a Lei Maria da Penha é contra os homens. Participantes gentilmente não cobraram cachê para a campanha

BRASÍLIA – 1º de março de 2013 – Uma em cada cinco mulheres brasileiras consideram já terem sofrido violência dentro de casa.  Em 80% dos casos, os agressores são namorados e maridos. Os alarmantes dados do Mapa da Violência 2012 – Homicídios de Mulheres no Brasil, a mais completa e recente pesquisa sobre o tema, indicam que, a despeito das recentes conquistas femininas, muitas brasileiras ainda enfrentam um cotidiano de medo, violência e sofrimento. Em uma iniciativa para fomentar o debate sobre o tema e ampliar a conscientização sobre essa situação, o Banco Mundial lança neste 1º de março a campanha HOMEM DE VERDADE NÃO BATE EM MULHER.

Dez personalidades masculinas – entre as quais os atores Cauã Reymond, Gabriel Braga Nunes, Thiago Fragoso, Rodrigo Simas e o judoca Flavio Canto - foram convidadas a posar empunhando um cartaz com a mensagem da campanha. O objetivo é acabar com o estigma de que a Lei Maria da Penha, promulgada em 2006, é uma legislação contra os homens. Nenhum dos participantes cobrou cachê para fazer a campanha. A única participante mulher é Maria da Penha Maia Fernandes, que dá nome à legislação.

 “A igualdade entre os gêneros é fundamental para o desenvolvimento e a produtividade econômica. A questão também envolve meninos e homens. Os homens não perdem nada quando os direitos femininos são promovidos. Ao contrário, estudos indicam que relações equilibradas são boas para as mulheres, homens e famílias”, disse Deborah L. Wetzel, diretora do Banco Mundial para o Brasil. “Por isso o Banco Mundial está promovendo uma campanha para engajar os homens. A Lei Maria da Penha não é uma legislação contra eles, mas por um futuro melhor para todos”.

A campanha será lançada no site oficial do Banco Mundial no Brasil, com o convite para que os internautas se engajem por meio das mídias sociais. Para tanto, basta tirar uma foto segurando um cartaz com a mensagem HOMEM DE VERDADE NÃO BATE EM MULHER e postar no Instagram ou no Twitter (mencionando @worldbanklac) com a hashtag #souhomemdeverdade

O Banco Mundial e a questão de gênero no Brasil

As iniciativas de gênero são hoje parte integrante de 60% dos projetos financiados pelo Banco Mundial no Brasil. Cada projeto apresenta pelo menos um componente voltado para beneficiar as mulheres do local onde será implantado.

O Banco Mundial apoia ainda a divulgação no País da Lei Maria da Penha por meio de uma parceria com a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara dos Deputados. O objetivo é ampliar a atuação da Procuradoria nos Estados e aumentar a percepção da Lei no Brasil.

Uma das importantes iniciativas é o Primeiro Concurso de Curta Documentário sobre a Lei Maria da Penha (www.curtamariadapenha.com.br) cuja premiação ocorrerá em cerimônia no Congresso Nacional no próximo dia 5 de março. Os trabalhos serão traduzidos para inglês, francês e espanhol e divulgados pela rede de parceiros do Banco Mundial no Brasil e no exterior.

Para mais informação, visite: www.bancomundial.org/br

Facebook: http://www.facebook.com/BancoMundialBrasil

Twitter: http://www.twitter.com/WorldBankLAC

YouTube: http://www.youtube.com/user/lacregion2010

Contatos com a mídia:
COMUNICADO À IMPRENSA Nº
001/2013