Esta página em:

REPORTAGEM

No ar, pela TV digital brasileira: saúde, educação, empregos e cidadania

24 de maio de 2013

Depois que a plataforma Brasil 4D estiver em funcionamento em todo o país, a EBC planeja exportar o modelo para outros países latino-americanos e para a África.

DESTAQUES DO ARTIGO
  • A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) criou um sistema interativo de TV para levar serviços públicos a todo o país.
  • Os primeiros testes foram feitos em três bairros pobres de João Pessoa (PB).
  • Pesquisadores do Banco Mundial mediram os impactos do projeto piloto. Os resultados serão divulgados em agosto.

A maneira como as pessoas veem TV mudou de vez em três bairros pobres de João Pessoa (PB). E isso não é porque há novela nova ou outro programa diferente no ar.  

Em dezembro passado, um novo serviço de televisão digital foi apresentado a 100 famílias beneficiárias do Brasil sem Miséria. O sistema interativo lhes dá acesso a uma série de serviços públicos, como informações sobre saúde, educação financeira, programas sociais, empregos e capacitações. Para ver tudo isso, basta apertar os botões do controle remoto.

“Agora posso procurar um emprego ou um curso sem sair de casa”, diz a cabeleireira Edineide Santos. “Antes as pessoas tinham que pegar pelo menos um ônibus para ir até o posto do Sine (Sistema Nacional de Empregos).”

Facilidades online

As informações a que Edineide se refere são transmitidas pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Todo o conteúdo passa por um satélite que se comunica com antenas instaladas em cidades com mais de 100 mil pessoas. Essas antenas, por sua vez, levam o sinal digital a conversores instalados nas casas das famílias paraibanas.

Além dos conversores, os participantes receberam um controle remoto e treinamento. “A tecnologia permite que eles interajam com o conteúdo como se estivessem online, mesmo que não haja conexão à internet na área”, explica André Barbosa, superintendente de suporte da EBC.

“Fora isso, a tecnologia é fácil de usar, algo essencial para uma parte da população que tem na TV a principal fonte de informação. O controle remoto é igual a qualquer outro, com os botões vermelho, amarelo, azul e verde”, acrescenta. No Brasil, 97% dos lares contam com um aparelho de TV.

 

Open Quotes

Agora posso procurar um emprego ou um curso sem sair de casa. Close Quotes

Edineide Santos
Cabeleireira em João Pessoa.

Impacto no cotidiano

O canal de empregos e capacitação profissional não agradou só a Edineide dos Santos: foi também o preferido da maioria dos usuários. Essa é uma das descobertas feitas por pesquisadores do Banco Mundial que fizeram um estudo de impacto entre as famílias beneficiadas.

Os números e conclusões da pesquisa estarão disponíveis em agosto. Esses dados ajudarão a EBC a implementar uma plataforma digital – de alcance nacional – que transmitirá conteúdo interativo de todas as tevês públicas brasileiras.

A partir dessa plataforma, que custará ao governo menos de R$ 10 por família, os brasileiros poderão resolver várias tarefas. Entre elas, checar o saldo bancário, tirar o extrato do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e marcar uma consulta em hospitais públicos e postos de saúde. “Tudo poderá ser feito de casa, sem custo algum”, enfatiza Barbosa.

Tecnologia para exportação

Embora o plano de implementação não esteja 100% estruturado, a plataforma já tem um nome: Brasil 4D.

A denominação, no entanto, não tem nada a ver com uma evolução da tecnologia 3D, como a sigla pode sugerir. Na verdade, os quatro Ds são de Democracia, Diversidade, Desenvolvimento e Digital – os princípios norteadores do sistema.

Depois que a plataforma estiver em funcionamento em todo o país, a EBC planeja exportar o modelo para outros países latino-americanos e para a África.