Learn how the World Bank Group is helping countries with COVID-19 (coronavirus). Find Out

COMUNICADO À IMPRENSA 17 de Setembro de 2019

Banco Mundial Aprova o Equivalente a US$57 Milhões em Apoio ao Comércio Regional de Energia em Moçambique e Malawi

WASHINGTON, 17 de setembro de 2019 - A Direção Executiva do Grupo Banco Mundial aprovou hoje um total de US $ 57 milhões para o Projeto de Interconexão Regional Moçambique-Malawi. O projeto interconectará os sistemas de transmissão de energia de Moçambique e Malawi para permitir que ambos os países se envolvam no comércio bilateral e regional de energia no Pool de Energia da África Austral (SAPP). Desse montante, Moçambique receberá US $ 42 milhões equivalentes como uma doação da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA). O Malawi receberá um crédito equivalente a US$ 15 milhões da IDA. Além disso, Moçambique deverá receber uma doação de US $24 milhões de um fundo fiduciário do Governo da Noruega administrado pelo Banco Mundial, juntamente com uma doação de 20 milhões de euros do governo da Alemanha. O Malawi receberá 20 milhões de euros adicionais através de uma subvenção da União Europeia (UE). As subvenções da UE e do Governo da Alemanha são administradas pela Kreditanstalt fur Wiederaufbau (KfW).

“O novo projeto de interconexão regional Moçambique-Malawi estabelecerá um elo de transmissão entre os dois países para atender à crescente demanda de eletricidade no Malawi e criar oportunidades de comércio no SAPP”, disse Dhruva Sahai, especialista financeiro sénior e líder da equipa do projeto. Entre os seus principais empreendimentos incluem-se a construção de 218km de linha de transmissão de corrente alternada de alta tensão de 400 kV, sistemas de conexões e infraestruturas associadas como obras de subestações, começando em Matambo, na Província de Tete, no centro de Moçambique, até Phombeya no distrito de Balaka, no sul do Malawi. Com estes investimentos, famílias, empresas e agricultores do Malawi beneficiarão de um acesso mais confiável à eletricidade, vital para melhorar a produtividade e a competitividade do país nos mercados doméstico e regional, enquanto a concessionária pública de Moçambique EDM, poderá ver reforçadas as suas receitas em divisas, permitindo deste modo que sejam utilizadas nos contínuos esforços de eletrificação doméstica.

Este é um projeto importante para a região. Criará condições para expandir o acesso a milhões de pessoas na região que vivem sem eletricidade e ajudará por outro lado a descarbonizar os sistemas de energia na região da África Austral, que atualmente são dominados pela geração a carvão, disse Deborah Wetzel, Diretora do Banco Mundial para Integração Regional em África, Médio Oriente e Norte da África.

A SAPP é o primeiro e o mais avançado grupo de energia do continente, fornecendo uma alternativa para o comércio bilateral de energia. Este projeto financiará a primeira interconexão do Malawi ao SAPP, o que é uma prioridade desde o início dos anos 2000, com várias tentativas de o traduzir em realidade. Este projeto responde às prioridades sectoriais de Moçambique em se tornar uma referência regional de energia, exportando-a para o Malawi. Aumenta igualmente o potencial do país em exportar energia através da SAPP para muitos outros países no futuro,” observou Mark Lundell, Diretor do Banco Mundial para Moçambique, Madagáscar, Maurícias, Seychelles e Comores.

“O projeto procura abordar os desafios sectoriais do Malawi, incluindo os déficits crônicos no fornecimento de eletricidade e garante a segurança do seu fornecimento, bem como a sua confiabilidade e acessibilidade por meio de importações de Moçambique e, no futuro, outros países da SAPP,” disse Bella Bird, Diretora do Banco Mundial para Tanzania, Malawi, Zambia, Zimbabwe. O Projeto reduz também o potencial de uma crise de energia baseada nas secas que afetam o rio Shire. Aborda ainda, entre outras coisas, a necessidade de backup na forma de fontes externas diversificadas de energia, especialmente para permitir alguma redundância no sistema de energia do Malawi e permitir interrupções e reformas das usinas de geração existentes no Malawi. Para além da construção da linha de transmissão e infraestruturas relacionadas, o projeto apoiará operações de capacitação institucional nas empresas de serviços públicos de eletricidade de ambos os países.

* A Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), do Banco Mundial criada em 1960, ajuda os países mais pobres do mundo disponibilizando doações e empréstimos com baixos ou sem taxas de juros para projetos e programas que impulsionam o crescimento económico, reduzem a pobreza e melhoram a vida das pessoas pobres. A IDA é uma das maiores fontes de assistência para os 75 países mais pobres do mundo, 39 dos quais estão em África. Os recursos da IDA trazem mudanças positivas para 1,5 bilhão de pessoas que vivem nos países da IDA. Desde 1960, a IDA tem apoiado o trabalho de desenvolvimento em 113 países. Os compromissos anuais atingiram em média US $ 18 bilhões nos últimos três anos, com cerca de 54% destinado a África.


COMUNICADO À IMPRENSA Nº 2020/022/AFR

Contactos

Maputo
Rafael Saute
(+258) 21482300
rsaute@worldbank.org
Lilongwe
Henry Harlod Chimbali
hchimbali@worldbank.org
Api
Api