Skip to Main Navigation
Eventos

Desafios éticos na produção de dados sobre violência contra as mulheres e meninas a partir da perspectiva de gênero

10 de Dezembro de 2020

Das 16h às 18h, online. Haverá tradução para português e espanhol.

Image

O Banco Mundial e a ONU Mulheres convidam para o webinário Desafios éticos na produção de dados sobre violência contra as mulheres e meninas a partir da perspectiva de gênero.

 

  • Veja a gravação do evento

    A produção de dados sobre violência contra mulheres e meninas constitui uma estratégia central para a adoção de medidas efetivas para o seu enfrentamento. Entretanto, é necessário garantir que todo o processo de produção desses dados seja feito com base em princípios éticos e de segurança, a fim não apenas de assegurar a confiabilidade de seus resultados, mas também de garantir a segurança e bem-estar físico e psicológico das pessoas envolvidas, desde as entrevistadoras, mas principalmente, das mulheres e meninas cujos dados estão sendo coletados.

    O evento irá abordar questões éticas e metodológicas que devem permear o processo de produção e utilização de dados sobre violência contra mulheres e meninas (VCMM), envolvendo desde dados administrativos até pesquisas de campo para coleta de dados primários. Especialistas nacionais e internacionais irão discutir, desde diferentes perspectivas, os principais desafios que permeiam esse processo e medidas que devem ser adotadas para responder a esses desafios.

  • 16:00 às 16:05 – Fala de boas-vindas: Pablo Acosta, Líder Setorial de Desenvolvimento Humano do Banco Mundial

    16:05 às 16:15 – Introdução ao tema pela moderadora: Wânia Pasinato, consultora da ONU Mulheres

    16:15 às 17:15 – Apresentações dos palestrantes

    • Juncal Plazaola Castano, especialista em dados sobre violência contra as mulheres na sede da ONU Mulheres em Nova York: Recomendações éticas sobre a produção e utilização de dados sobre VCMM segundo convenções internacionais. 
    • Ana Flavia D’Oliveira,  professora do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: A importância da perspectiva de gênero na coleta de dados sobre VCMM
    • Manuel Contreras-Urbina, Especialista Sênior em Inclusão Social, Diversidade e Violência de Gênero para a América Latina e o Caribe do Banco Mundial: Desafios e estratégias na aplicação das considerações éticas para a produção e utilização de dados sobre VCMM.  
    • Alejandra Ríos, Instituto Nacional de Estatística e Geografia do México (INEGI): Operacionalização das considerações éticas em pesquisas nacionais de VCMM.

    17:15 às 17:45 – Debate

    17:45 às 18:00 – Palavras de encerramento, ONU Mulheres

  • Juncal Plazaola Castaño

    É especialista em dados sobre violência contra as mulheres na sede da ONU Mulheres em Nova York desde março de 2015. Entre 2009 e 2015 trabalhou no Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Trabalhou como pesquisadora na Escola Andaluza de Saúde Pública de Granada, Espanha, onde participou de diversos estudos quantitativos e qualitativos sobre violência praticada por parceiro íntimo e fez parte da equipe que coordenou o desenvolvimento do primeiro Protocolo Nacional para a Resposta de Saúde à Violência de Gênero. Juncal também trabalhou em Samoa, Peru e Tailândia.

    Ana Flavia D’Oliveira

    É professora do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Trabalha há 20 anos com pesquisa, ensino e intervenção em violência de gênero e saúde, utilizando metodologias quantitativas e qualitativas. Tem trabalhado em colaboração com o King ́s College, London School of Hygiene and Tropical Medicine e University of Bristol. É graduada em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e tem mestrado e doutorado pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina de São Paulo.

    Manuel Contreras-Urbina

    É Especialista Sênior do Banco Mundial em Desenvolvimento Social e Violência de Gênero para a América Latina. Tem 25 anos de experiência em pesquisas e programas de gênero e violência de gênero. Atuou como Diretor de Pesquisa do Instituto Global da Mulher na Universidade de George Washington, como Oficial de Programa da ONU Mulheres no México e América Central, como Coordenador de Gênero e Violência no Centro Internacional de Pesquisa sobre Mulheres. É Doutor em População e Gênero pela University of London e mestre em Demografia pelo Colegio de México.

    Alejandra Ríos Cázares

    É doutora em ciências políticas pela University of California San Diego. É professora-pesquisadora licenciada da Divisão de Administração Pública do Centro de Pesquisa e Ensino Econômico da Cidade do México e atualmente trabalha como diretora geral adjunta de desenvolvimento, análise e indicadores governamentais do Instituto Nacional de Geografia e Estatísticas do México (INEGI). É responsável pelo desenvolvimento conceitual da Pesquisa Nacional sobre a Dinâmica das Relações Domésticas, a principal pesquisa especializada para capturar a violência contra a mulher no México.