Learn how the World Bank Group is helping countries with COVID-19 (coronavirus). Find Out

COMUNICADO À IMPRENSA

US$ 112.9 milhões para trens da Linha 11 em São Paulo

21 de Setembro de 2010




Washington, 21 de setembro de 2010 – O Banco Mundial aprovou hoje um financiamento adicional de 112,91 milhões de dólares para o Estado de São Paulo, em apoio ao Projeto de Trens e Sinalização da rede de trens urbanos e metrô da Região Metropolitana. Os novos recursos permitirão a compra de pelo menos nove novas composições, além de equipamentos complementares, para aumentar a capacidade e o conforto na linha 11 – Coral. Serão financiados também estudos para uma estratégia de redução do impacto climático do sistema.
 
“Este é mais um importante passo para aumentar a mobilidade urbana na cidade, melhorando as questões de congestionamento, aumentando o acesso da população a emprego e serviços públicos e fortalecendo a rede de trens urbanos,” disse o Governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman.
 
O projeto terá benefícios importantes para toda a população, em especial a de baixa renda, que é a principal usuária do transporte público, e aumentará a eficiência e competitividade da maior cidade brasileira. Também são esperados impactos positivos na redução geral de emissões e tráfego, devido à transferência de passageiros de outros meios de transporte para o sistema. Estudos financiados sob o projeto medirão esses benefícios.
 
A Linha 11-Coral liga a zona leste da cidade ao centro de São Paulo, onde estão grande parte dos empregos, comércio e serviços, e tem experimentado um crescimento significativo no número de passageiros, operando atualmente com mais de oito passageiros por metro quadrado nos horários de pico. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estima que, com a modernização, integração e os novos trens, o número de passageiros transportados diariamente na Linha 11 passe de 438.000 (em 2008) para aproximadamente 560.000 em 2012.
 
“A melhoria do transporte público em São Paulo é essencial para a vitalidade econômica da Região Metropolitana”, disse o Diretor do Banco Mundial para o Brasil, Makhtar Diop. “Com essa nova operação, o Governo do Estado poderá acelerar o processo de interligação de todo o sistema e ampliar a disponibilidade de transporte a preços acessíveis para a população de baixa renda.”
As melhorias na linha 11 se juntam a outras intervenções financiadas pelo empréstimo original, de US$550 milhões, assinado em junho de 2008, que buscam aumentar a capacidade de transporte das linhas 7, 11 e 12, além das linhas 1, 2 e 3 do Metrô.
 
“O Estado obteve progressos consideráveis na infraestrutura e nos serviços de transportes públicos nas últimas décadas”, disse o Gerente do Projeto pelo Banco Mundial, Georges Darido. “Os novos trens serão essenciais para fortalecer a estratégia do Estado de desenvolver a rede da CPTM nos moldes do Metrô, com serviço mais freqüente tanto nos picos de demanda quanto nos períodos intermediários, beneficiando todos os usuários.”
 
Este empréstimo flexível do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), com spread variável e todas as opções de conversão, tem amortização em 30 anos, incluindo cinco anos de carência. O Banco Mundial é parceiro de São Paulo desde 1952 e já financiou 39 projetos de desenvolvimento no Estado, totalizando mais de US$4 bilhões.

Contatos com a mídia:
Mauro Azeredo
tel : (61) 3329-1059
mazeredo@worldbank.org
Gabriela Aguilar
tel : (202) 473-6768
gaguilar2@worldbank.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2011/098/LAC

Api
Api