COMUNICADO À IMPRENSA

Brasil recebe US$ 13 milhões para conservação do Cerrado

14 de Junho de 2010



BRASÍLIA, 14 de junho de 2010 – O Banco Mundial, o Ministério do Meio Ambiente (MMA), os Governos de Goiás e de Tocantins e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) assinaram hoje o acordo para a doação de US$ 13 milhões do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês) para a Iniciativa Cerrado Sustentável.

À doação somam-se contrapartidas de US$ 29,69 milhões do Governo Federal e dos governos de Goiás e Tocantins, totalizando US$ 42,69 milhões, que serão investidos nos próximos quatro anos para garantir a conservação da savana com a maior biodiversidade do mundo e que cobre quase 25% do território brasileiro.

"O Cerrado vem ganhando a importância merecida, com o debate não mais centralizado na Amazônia. Nós temos que aprender a dar sustentabilidade às áreas protegidas no Brasil e levar a gestão estratégica de áreas protegidas a um novo patamar”, afirmou a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O Cerrado é um tipo único de savana tropical, que abriga mais de 12.000 espécies de plantas e aproximadamente duas mil espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes de água doce. Entretanto, estudos recentes mostraram que o bioma está sob pressão, com o desmatamento de cerca de 1,4 milhão de hectares por ano (quase o dobro da atual taxa de desmatamento da Amazônia). Com isso, cerca de 48% do Cerrado já foram perdidos.

A Iniciativa Cerrado Sustentável apoiará quatro projetos coordenados de conservação e uso sustentável da biodiversidade:

  • Projeto de Monitoramento do Bioma e de Políticas Públicas do Cerrado, do Ministério do Meio Ambiente (US$ 4 milhões);
  • Projeto Cerrado Sustentável do Tocantins, com o estado do Tocantins (US$ 3 milhões);
  • Projeto Cerrado Sustentável de Goiás, com o estado de Goiás (US$ 3 milhões);
  • Projeto de Proteção da Biodiversidade do Cerrado do ICMBio - (US$ 3 milhões)

"Este projeto é muito importante não só para Brasil. Todos os esforços para que estão sendo feitos para a preservação do Cerrado no Brasil e o conhecimento adquirido também serão muito úteis para o mundo e principalmente para os países africanos, onde também existem savanas”, disse Makhtar Diop, Diretor do Banco Mundial para o Brasil.

O Ministério do Meio Ambiente coordenará o projeto e o Funbio ficará encarregado da execução dos recursos. Os resultados esperados dos quatro projetos são:

Aumento no mosaico de áreas de biodiversidade única legalmente protegidas no Cerrado;

  • Utilização mais sustentável dos recursos naturais do bioma, incluindo espécies nativas, por grandes, médios e pequenos agricultores e comunidades locais;
  • Elaboração de novas políticas públicas para a conservação e o uso sustentável do Cerrado, bem como a gestão dos recursos naturais do bioma;
  • Monitoramento do status do bioma para assegurar a aplicação eficaz da iniciativa, através da criação de um banco de dados público contendo informações geofísicas, sociais e ambientais atuais.


Api
Api