REPORTAGEM

Rio+20: questões-chave e grandes desafios

24 de Maio de 2012

Image

Pescador no Lago Iranduba, próximo a Manaus (AM), Brasil.

© Julio Pantoja / World Bank

DESTAQUES DO ARTIGO
  • Vinte anos depois da Rio-92, a Rio+20 deve atrair 75.000 pessoas de todo o mundo
  • O evento traz a oportunidade de discutir os pilares econômicos, sociais e ambientais do desenvolvimento sustentável
  • Na pauta do Banco Mundial, estão o crescimento verde inclusivo, a contabilidade do capital natural, a preservação dos oceanos, o uso da terra, o desenvolvimento urbano e a energia sustentável

Nos próximos 40 anos, a população da Terra aumentará de 7 bilhões para 9 bilhões, e todos dependerão do planeta para o fornecimento de energia, água e alimentos. O curso que seus habitantes estão seguindo agora tornará isso extremamente difícil.

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, conhecida como Rio+20, oferece uma oportunidade para construir estruturas de planejamento e políticas, bem como sistemas de medição. Além disso, dá a ambição de que necessitamos para nos prepararmos para o futuro e lidar com as crises de alimentos, água e energia que enfrentamos hoje.

Em todo o mundo, há um entendimento crescente de que, para progredir, devemos dar atenção igual aos pilares econômicos, ambientais e sociais do desenvolvimento sustentável. A conferência – que, em junho, deverá atrair 75.000 pessoas, incluindo 100 chefes de Estado e milhares de pessoas do setor privado para o Rio de Janeiro – apresenta as seguintes chances para a comunidade global:

  • Usar o poder do crescimento verde inclusivo como o caminho para o desenvolvimento sustentável;
  • Ir além do PIB e incorporar o capital natural e os serviços do ecossistema na contabilidade da riqueza nacional;
  • Ampliar as abordagens integradas (entre os setores público e privado) sobre o panorama urbano, a paisagem rural e os oceanos.

" Estamos vendo a ligação entre a crise dos alimentos, a insegurança hídrica e as necessidades energéticas, e tudo se torna mais complicado devido às mudanças climáticas. Os países e as comunidades precisam tornar-se mais resilientes e crescer com maior eficiência. O crescimento verde é o centro disso tudo. É o caminho para o desenvolvimento sustentável.  "
Image

Rachel Kyte

Vice-presidente de Desenvolvimento Sustentável, Banco Mundial

Na Rio+20, a comunidade global também pode começar a desenvolver um conjunto de objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) para energia, alimentos e água, a fim de complementar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) e colocar todos nós em um caminho que privilegie o planeta, as pessoas e o progresso, todos ao mesmo tempo.

O Banco Mundial vem colaborando estreitamente com os governos, sociedade civil e setor privado e participará da Rio+20 com seis mensagens-chave: crescimento verde inclusivo, contabilização do capital natural, preservação dos oceanos, uso da terra, desenvolvimento urbano e energia sustentável.

 


Api
Api