Discursos e Transcrições

Discurso do Presidente do Grupo Banco Mundial Jim Yong Kim na Conferência de Imprensa de Encerramento das Reuniões da Primavera Setentrional de 2013

World Bank Group President Jim Yong Kim

Spring Meetings 2013 Closing Press Conference

Washington, DC, Estados Unidos

20 de abril de 2013

Conforme preparado para pronunciamento

2030.

É isso. Esta é a meta global para pôr fim à pobreza.

Muito obrigado pela presença de todos. Desejo comunicar-lhes que, há menos de uma hora, pela primeira vez na história nós nos comprometemos em estabelecer uma meta para pôr fim à pobreza. Não estamos mais sonhando com um mundo livre de pobreza. Estabelecemos uma data de expiração da pobreza extrema. Com o compromisso, cooperação e visão dos líderes de todo o mundo temos grande fé em que isso possa acontecer.

Será um trabalho árduo. A meta de 2030 está mais próxima dos que pensamos – dista apenas 17 anos. Lembraremos ao mundo a urgência desta tarefa todo ano ao comunicarmos nosso progresso, país por país, no tocante à taxa de pobreza extrema no mundo, bem como as mudanças na renda dos 40% da população de cada país que estão na faixa inferior, pessoas vulneráveis a recaírem na pobreza no caso de perderem emprego ou sofrerem uma crise de saúde. Saberemos todo ano onde estamos e onde não estamos progredindo.

Acolho também com muita satisfação o apelo da Comissão de Desenvolvimento por um aumento robusto de nosso fundo para os mais pobres – AID – mediante uma sólida participação de todos os membros.

Estas Reuniões da Primavera Setentrional – minhas primeiras como Presidente do Grupo Banco Mundial – tiveram outros destaques importantes. Um deles foram a presença e participação estimulantes do Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon que participou comigo de várias reuniões e eventos de alto nível e que, acima de tudo, ressaltou a enorme importância de os sistemas das Nações Unidas e do Grupo Banco Mundial trabalharem em conjunto para pôr fim à pobreza. Seremos muito mais eficazes e eficientes se combinarmos forças para focar ao mesmo tempo questões de política, de segurança e desenvolvimento econômico. Esta é a nossa promessa para o mundo.

Uma segunda questão-chave dessas Reuniões foi a atenção dispensada à mudança climática. Conforme mencionei em várias reuniões, precisamos de um plano que esteja em pé de igualdade com o desafio de um planeta em aquecimento desastroso. Uma terceira parte importante destas reuniões foi o enfoque na necessidade de os países investirem mais na saúde e na educação. Sem proporcionarem acesso universal à educação, sem melhorarem os sistemas educacionais de forma que as crianças não somente frequentem a escola mas aprendam na escola e sem construírem sistemas de cuidados da saúde que realmente prestem às pessoas serviços de saúde de qualidade, os países perderão a oportunidade de fazer os investimentos críticos no capital humano que determinem sua posição competitiva na economia global. O investimento nas pessoas, especialmente na saúde e educação, é ação correta de uma perspectiva tanto moral como estratégica.

Muito obrigado.