Esta página em:

COMUNICADO À IMPRENSA

Banco Mundial/Brasil: Mais de 1,8 milhão de pessoas serão beneficiadas por melhorias no abastecimento de água e saneamento no Espírito Santo

28 de março de 2014

WASHINGTON, 28 de março de 2014 – Mais de 1,8 milhão de pessoas que vivem na região metropolitana de Vitória, capital do Espírito Santo, serão beneficiadas por um empréstimo no valor de US$ 225 milhões, aprovado hoje pela Diretoria do Banco Mundial. O Projeto Integrado de Gestão Sustentável da Água se concentrará no aperfeiçoamento da administração dos recursos hídricos, na expansão do acesso da população ao saneamento e na ampliação da capacidade do Estado para lidar com os desastres naturais.

No Brasil, mais de 82% da população vive nas áreas urbanas. O rápido crescimento demográfico e a urbanização vêm representando um desafio para o estabelecimento de serviços de água e saneamento equitativos e sustentáveis. Apenas 46% dos brasileiros têm acesso à rede de esgoto e cerca de 62% das águas residuais são despejadas sem tratamento no meio ambiente.

“Com a parceria do Banco Mundial vamos melhorar a gestão dos nossos recursos hídricos e ampliar o acesso ao saneamento, expandindo serviços de coleta e tratamento de esgoto. O nosso plano de trabalho também contempla a ampliação da cobertura florestal, além de dotar o Espírito Santo com maior capacidade de gestão de riscos de desastres naturais extremos, como as chuvas que castigaram o Estado em dezembro de 2013”, afirmou o governador capixaba Renato Casagrande.

A disponibilidade e a qualidade da água sofrem com as ameaças provenientes das fontes de abastecimento da área metropolitana de Vitória. A degradação das bacias hidrográficas levou a altos níveis de erosão, e a coleta e o tratamento insuficientes de esgoto resultaram na contaminação da água. Embora a Companhia Espírito Santense de Saneamento (CESAN) tenha ampliado de 20% para 60% a cobertura da rede de esgoto em Vitória, entre 2004 e 2012, a coleta e o tratamento inadequado de águas residuais nas cidades situadas próximo às bacias hidrográficas de Jucu e Santa Maria da Vitória continuam a gerar uma poluição que compromete os recursos hídricos rio abaixo, assim como as áreas costeiras.

“A oferta de serviços de água e saneamento eficientes e sustentáveis representa uma etapa fundamental para acabar com a pobreza e promover o compartilhamento da prosperidade”, afirmou Deborah L. Wetzel, Diretora do Banco Mundial para o Brasil. “A administração dos recursos hídricos é uma prioridade essencial para o Espírito Santo, para a sua economia e, o que é mais importante, para os seus cidadãos. O projeto também ajudará a prevenir os riscos das contínuas enchentes no Estado. O Banco Mundial tem satisfação em atuar como parceiro na promoção dessas importantes mudanças.”

O projeto apoiará a melhoria da qualidade da água potável e costeira na capital do Estado, assim como das bacias hidrográficas que abastecem a Grande Vitória. Os investimentos na rede de esgoto poderão garantir a adequação da coleta e do tratamento das águas residuais em Vila Velha e Cariacica, na região metropolitana, e em nove outros municípios.

Entre os resultados apoiados pelo projeto estão:

  • Adoção de um Plano Estadual de Gestão dos Recursos Hídricos e de Planos de Gestão das Bacias Hidrográficas;
  • Melhor monitoramento da qualidade hídrica e hidrológica do Estado;
  • Implementação de um sistema de informação sobre gestão ambiental; e
  • Aperfeiçoamento da coleta e do tratamento de águas residuais em áreas urbanas selecionadas, incluindo um programa de conexão do esgoto doméstico à rede coletora.

Este empréstimo de US$ 225 milhões do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) para o Estado do Espírito Santo é garantido pela República Federativa do Brasil e tem prazo de reembolso de 24,5 anos, com seis meses de carência.

 

Contatos com a mídia:
COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2014/407/LAC