Esta página em:

REPORTAGEM

Sean Penn: Chegou o momento de aproveitar as oportunidades no Haiti

3 de maio de 2013

O diretor-executivo e fundador da Organização J/P de Ajuda ao Haiti, Sean Penn 

DESTAQUES DO ARTIGO
  • Agora é o momento de aproveitar as oportunidades no Haiti, afirmou Sean Penn, diretor-executivo e fundador da Organização J/P de Ajuda ao Haiti.
  • Embora não haja nenhuma resposta perfeita às catástrofes naturais, nada acontece sem a ajuda de parcerias.
  • O diretor-executivo e fundador da Organização J/P de Ajuda ao Haiti, Sean Penn, falou com franqueza de seu trabalho no Haiti, e manifestou esperança no futuro do país.

Enfatizando o notável avanço do Haiti desde o grave terremoto de 2010, Sean Penn, diretor-executivo e fundador da Organização J/P de Ajuda ao Haiti (J/P HRO, na sigla em inglês), incentivou a comunidade internacional a continuar apoiando o país caribenho no momento em que a nação passa por uma espécie de renascimento.

Falando na sede do Banco Mundial, Penn disse que agora é o momento de aproveitar as oportunidades no Haiti, uma nação que pode proporcionar um "valor incrível" para outros países, bem como a si mesma, especialmente por causa do seu setor privado, disse Penn.

"Os haitianos estão prontos e empenhados em ser os soldados da mudança", observou. "Precisamos identificá-los, trabalhar com eles e estar dispostos a aceitar sua orientação."
 
Penn, que fundou a J/P HRO após o terremoto de 2010, falou abertamente a Hasan Tuluy, vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, sobre as suas experiências no país.

Tendo chegado ao Haiti uma semana após o terremoto com o único objetivo de distribuir morfina e cetamina para unidades emergenciais de traumatologia no país, Penn esperava permanecer no país por apenas duas semanas. Mas, à medida que a situação mudou e as organizações de ajuda humanitária emergencial começaram a ir embora, ele decidiu ficar para trabalhar com os haitianos na construção da J/P HRO.

A J/P HRO dedica-se a salvar vidas e trazer programas sustentáveis para o povo haitiano de forma rápida e eficaz. A organização trabalha com entidades do governo e organizações não-governamentais visando apresentar resultados imediatos onde houver maior necessidade. Em princípio, as iniciativas incluem prestação de serviços de assistência médica primária e emergencial, fornecimento de equipamentos médicos e remédios altamente necessários, remoção de escombros para facilitar a recuperação da comunidade, administração dos acampamentos para pessoas internamente deslocadas, distribuição de alimentos e sistemas de purificação de água, melhoria dos sistemas de comunicação e construção de moradias e estabelecimentos de ensino.

O objetivo da J/P HRO é apoiar os residentes nos acampamentos administrados pela organização e nas áreas em seu entorno no processo de mudança da condição de desabrigados pelo terremoto para a de habitantes de comunidades duráveis, prósperas e sustentáveis.

Com uma equipe de cerca de 400 membros, dos quais 98% são haitianos, a J/P HRO continua a evoluir como uma entidade reconhecida pela atuação na área do desenvolvimento comunitário sustentável.

Open Quotes

Haitians are ready and willing to be the soldiers of change. We need to identify them, work with them and be willing to accept their guidance Close Quotes

Sean Penn
CEO & Founder of J/P Hatian Relief Organization

Alianças são chaves

Ao falar hoje, três anos após o terremoto, Penn admitiu que, enquanto não houver uma resposta perfeita para uma catástrofe, o fator mais importante é o trabalho conjunto das organizações.

"Nada acontece sem parcerias", afirmou Penn. Descrevendo as lacunas que observou ao viajar pela área afetada em suas duas primeiras semanas no país após o terremoto, ele expressou sua frustração com a falta de uma cooperação funcional e coordenada entre as organizações desde o início. Mas ressaltou que as parcerias não são necessárias apenas no nível organizacional e que os beneficiários também devem participar.

"Se as pessoas que estão em uma situação de grande necessidade recebem apenas um tapinha nas costas daqueles que dizem querer ajudá-las para que se sintam bem, elas vão pedir o dinheiro que está no seu bolso. Pergunte a elas de novo o que precisam e, novamente, vão pedir dinheiro. Pergunte-lhes uma terceira vez e convença-as de que você está lá para ficar e obterá uma resposta diferente. Em seguida, você pode disseminar esta reação, cultivá-la com essas pessoas e, então, começará a ver uma mudança real".

Agora, enquanto a resposta no Haiti muda de ritmo e volta-se para a reconstrução e o desenvolvimento, Penn e Tuluy admitem que isso representa um novo desafio. No entanto, Penn esclareceu que existem tantas oportunidades quanto pessoas no país.

Ao destacar esse ponto, Penn citou o exemplo de um centro comunitário originalmente criado no acampamento Petionville para pessoas internamente desalojadas, administrado pela Organização J/P de Ajuda ao Haiti. Utilizando os recursos da primeira doação concedida pelo Banco Mundial, um edifício na comunidade vizinha foi reaproveitado para abrigar as atividades infantis e as aulas de educação de adultos para a comunidade e que são gerenciadas pela própria comunidade.

Mas o espírito de parceria e cooperação, que é tão fundamental para a recuperação do Haiti, não se limita às pessoas dentro das fronteiras do país. A diáspora haitiana também desempenha um papel vital, como explicou o vice-presidente Tuluy.

“Fora do país, há um capital humano enorme, inteligência, energia e capacidade de estabelecer redes de relacionamento”, enfatizou. “Precisamos criar condições para que os emigrantes possam contribuir, como, aliás, eles estão dispostos a fazer.”

Eles ajudariam então a promover o tão necessário crescimento do setor privado que Penn reconheceu ser um desafio fundamental, apesar da imensa vontade de trabalhar mostrada pelo Haiti.

"Essa não é uma cultura da mendicância. Quando as pessoas se aproximam de mim, é para pedir trabalho", explicou. "[Mas] você não vai conseguir investimento onde não há acesso à eletricidade e terá que lidar com problemas de segurança, que são questões relacionadas à saúde."

O crescimento do setor privado também poderá interromper a fuga de cérebros, o que Penn adverte que será um problema se o enfoque contemplar apenas a educação.

"Há uma situação de emergência na educação. Se até os 5 anos essas mentes não tiverem sido alimentadas ou exercitadas, não será possível recuperá-las. Mas se estiver apenas concentrado na educação, então você os educará para irem embora do país. Em contrapartida, é necessário criar empregos", alertou.

Em suma, Penn observou: "Agora é um momento importante para o Haiti. É tempo de aproveitar as oportunidades." O crescimento da internet e das mídias sociais mostrou aos jovens haitianos que o desenvolvimento é um direito humano. Isso significa que "o Haiti não pode cair no velho padrão".

“Já chega de esperar”, concluiu, “Vamos colocar mãos à obra.”

Penn também se reuniu com o presidente do Banco Mundial Jim Yong Kim e outros funcionários do Banco.

SOBRE A ORGANIZAÇÃO J/P DE AJUDA AO HAITI

A Organização J/P de Ajuda ao Haiti (J/P HRO) dedica-se a salvar vidas e a trazer programas sustentáveis para a população haitiana de forma rápida e eficiente. Após o trágico terremoto de 2010, a organização começou a trabalhar imediatamente com o objetivo de exercer um impacto significativo no país. A J/P HRO atua junto aos órgãos governamentais e não governamentais visando promover resultados instantâneos onde houver mais necessidade. Saúde, administração de acampamentos e remanejamento de pessoas desalojadas, engenharia e construção, além de desenvolvimento comunitário são as quatro principais áreas programáticas da J/P HRO, cujas atividades abrangem, mas não se limitam ao fornecimento de serviços médicos emergenciais e de cuidados primários, à remoção de entulho e detritos para uma melhor reconstrução, à oferta de programas educativos e de aperfeiçoamento para a comunidade e ao desenvolvimento de moradias e estabelecimentos educacionais. Mais informações podem ser obtidas no site jphro.org. Siga a J/P HRO no Twitter, adicione a J/P HRO nos seus grupos do Google+ e encontre a J/P HRO no Facebook.