Esta página em:

REPORTAGEM

Projetos brasileiros estão entre os mais inspiradores do mundo

3 de agosto de 2012

Na Bahia, projeto do Banco Mundial busca melhorar o atendimento de saúde neonatal e o acesso a água potável. Objetivo: diminuir a mortalidade infantil.

DESTAQUES DO ARTIGO
  • As 100 iniciativas mais inovadoras do mundo estão em uma lista divulgada pela empresa de consultoria KPMG.
  • Um dos projetos, a ser implementado na Bahia, foi assinado pelo Banco Mundial no último mês de julho.
  • PPP para expansão do metrô de São Paulo é uma das poucas no ramo de trens urbanos.

Quatro projetos do Grupo Banco Mundial no Brasil estão na lista dos 100 mais inovadores do mundo: Gerenciamento Integrado de Água e Saúde (i), na Bahia; Metrô de São Paulo – Linha 4 (i); Hospital do Subúrbio (i), na Bahia; e o Escolas de Belo Horizonte (i) (os dois últimos são parcerias público-privadas apoiadas pelo IFC). O reconhecimento foi dado pela KPMG (i), uma das maiores empresas globais de consultoria em gerenciamento. 

Um comitê externo de juízes analisou centenas de projetos de acordo com critérios de escala, viabilidade, complexidade técnica ou financeira, inovação e impacto na sociedade.

“Os projetos são inspiradores porque usam modelos modernos de financiamento para resolver problemas de infraestrutura e melhorar as condições de vida dos brasileiros”, comentou Debbie Wetzel, diretora do Banco Mundial para o Brasil.  

Resultados verificáveis

Um desses modelos, o financiamento baseado em resultados, será aplicado no projeto Gerenciamento Integrado de Água e Saúde, na Bahia. Assinada em julho deste ano, a iniciativa tem como objetivo aumentar o acesso a água limpa e saneamento em 10 municípios. Além disso, pretende melhorar a qualidade do atendimento neonatal em 25 hospitais do estado.

“Esse é um projeto que paga pelos resultados, mas só depois de uma auditoria independente confirmar que as ações para resolver as causas da mortalidade infantil no estado foram realmente feitas”, explica o gerente do projeto, Fernando Lavadenz.

Outro sistema inovador de financiamento foi usado para o Metrô de São Paulo – Linha 4: uma parceria público-privada (PPP), a primeira do tipo no estado. “Trata-se de uma das poucas PPPs para trens urbanos no mundo. Além disso, o projeto traz um marco em termos de desenvolvimento urbano”, contou o gerente do projeto, Georges Darido.

Quando estiver completa, em 2013, a linha poderá levar até 1 milhão de passageiros por dia, aumentando a capacidade do sistema para 4,8 milhões de pessoas transportadas.

Open Quotes

Os projetos são inspiradores porque usam modelos modernos de financiamento para resolver problemas de infraestrutura e melhorar as condições de vida dos brasileiros Close Quotes

Debbie Wetzel
Diretora do Banco Mundial para o Brasil

Serviços melhorados

O Hospital do Subúrbio, na Bahia, e as escolas de Belo Horizonte também mostram como as PPPs – ambas apoiadas pelo IFC – podem melhorar os serviços públicos no Brasil.

A primeira PPP brasileira para o setor de educação foi formulada em 2011. A prefeitura de Belo Horizonte levantou US$ 80 milhões e fez uma parceria com um consórcio para construir e gerenciar 32 jardins de infância e cinco escolas de ensino fundamental.

Já o projeto para o Hospital do Subúrbio – estruturado em 2009 para ser a primeira PPP brasileira no setor de saúde – deu origem a um espaço que hoje atende a uma das áreas urbanas mais carentes do país. Aproximadamente 1 milhão de pessoas vivem nos arredores do hospital.

Em todos os projetos, a estrutura e o impacto sobre a sociedade foram elogiados pelos juízes – entre eles, o secretário de Planejamento do Paraná, Cassio Taniguchi. “Eles priorizam investimentos capazes de melhorar a qualidade de vida da população brasileira, principalmente nas áreas de saneamento básico e mobilidade urbana. Por isso, tornam-se exemplo para outras iniciativas locais e mundiais.”