Skip to Main Navigation
COMUNICADO À IMPRENSA 2 de Abril de 2020

Grupo Banco Mundial Lança As Primeiras Operações de Apoio de Emergência à Saúde para a COVID-19 (Coronavírus), Reforçando as Respostas dos Países em Desenvolvimento

Um programa económico mais vasto proporcionaria até USD 160 mil milhões ao longo dos próximos 15 meses

WASHINGTON, 2 de Abril de 2020  — O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou hoje um primeiro conjunto de operações de apoio de emergência aos países em desenvolvimento do mundo inteiro, utilizando um mecanismo acelerado e exclusivo COVID-19 para resposta ao coronavírus. O primeiro grupo de projectos, no montante de USD 1 900 milhões, irá prestar assistência a 25 países e novas operações avançam em mais de 40 países, recorrendo ao processo acelerado. Adicionalmente, o Banco Mundial está a trabalhar no mundo inteiro para redistribuir recursos dos projectos existentes financiados pelo Banco Mundial, num valor de até USD 1 700 milhões, incluindo através da reestruturação,utilização de componentes de emergência dos projectos existentes (CERCs) e accionando os CAT DDOs e  abrangendo todas as regiões.

O Grupo Banco Mundial está preparado para utilizar até USD 160 000 milhões ao longo dos próximos 15 meses para apoiar as medidas COVID-19 que irão ajudar os países a responder às consequências imediatas da pandemia e a impulsionar a recuperação económica. O programa económico mais vasto visará reduzir o tempo de recuperação, criar condições de crescimento, apoiar pequenas e médias empresas e ajudar a proteger os pobres e vulneráveis. Estas operações terão um intenso enfoque na pobreza, com ênfase no financiamento baseado em políticas, e na protecção das famílias mais pobres e do ambiente.

“O Grupo Banco Mundial está a tomar medidas vastas e rápidas para reduzir a propagação da COVID-19 e temos já temos em marcha operações de resposta da saúde em mais de 65 países” disse o Presidente do Grupo Banco Mundial David Malpass.Estamos a trabalhar para fortalecer a capacidade de resposta dos países em desenvolvimento à pandemia de COVID-19 e para reduzir o tempo necessário para a recuperação económica e social. Os países mais pobres e vulneráveis irão provavelmente ser os mais atingidos e as nossas equipas no mundo inteiro continuam focadas em soluções a nível nacional e regional para vencer a crise presente”.

Respondendo a perturbações generalizadas na cadeia de abastecimento, o Banco Mundial está também a ajudar os países a terem acesso aos tão necessários materiais médicos, entrando em contacto com os fornecedores em nome dos governos. O Banco Mundial incentiva também terceiros a prestarem apoio financeiro aos países em desenvolvimento com vista a uma resposta da saúde à COVID-19.

“Este pacote de resposta acelerada irá salvar vidas e ajudar a detectar, impedir e responder à COVID-19 nos países que servimos”, disse Axel van Trotsenburg, Director Geral de Operações do Banco Mundial. “As nossas operações nos países serão coordenadas a nível global para garantir que as melhores práticas serão partilhadas imediatamente, incluindo abordagens para reforçar os sistemas nacionais de saúde e preparar para potenciais ondas posteriores deste vírus devastador”.

Entre os projectos iniciais aprovados:

  • Africa: $82 milhões irão ajudar a Etiópia a equacionar necessidades críticas para a preparação e resposta à COVID-19, incluindo o fornecimento de equipamento médico vital, criação de capacidade do sistema de saúde e apoio para criação de centros de tratamento. Na República Democrática do Congo, um montante de USD 47 será utilizado para implementar estratégias de contenção, formar pessoal médico e fornecer equipamento para garantir uma rápida detecção de casos e identificação de contactos.
  • Ásia Oriental e Pacífico: Na Mongólia, $26,9 milhões irão contribuir para a actividades de formação de médicos, enfermeiros e paramédicos de cuidados de emergência; aquisição de materiais e equipamento médico e de laboratório; reabilitação de instalações de cuidados de saúde; e reforço da capacidade de resposta nacional às crises de saúde. No Camboja, $20 milhões destinar-se-ão a ajudar a criar laboratórios e centros de isolamento e de tratamento em 25 hospitais provinciais de referência e a equipá-los com materiais essenciais médicos e para a realização de testes.
  • Europa e Ásia Central: No Tajiquistão, $11,3 milhões irão contribuir para a expansão da capacidade em cuidados intensivos através de equipamento, materiais e formação, e apoio à coordenação com o público. Os agregados familiares mais vulneráveis irão também ser protegidos através de assistência social temporária. Na República do Quirguistão, US$12,15 milhões irão ajudar a aumentar a capacidade das equipas de resposta rápida, hospitais e laboratórios, fornecendo medicamentos e consumíveis de laboratório, equipamentos para UCI e fundos para a preparação de hospitais.
  • América Latina e Caraíbas: Haiti, o país mais pobre da região, irá beneficiar de uma subvenção da IDA de USD 20 milhões com apoio imediato para minimizar a transmissão da COVID-19 através de um maior número de testes para equipas de detecção precoce e de resposta rápida para ajudar a conter surtos. O financiamento irá também mobilizar pessoal de saúde adicional e fornecer equipamento para melhorar os cuidados aos doentes. No Equador, $20 milhões irão ajudar a financiar materiais médicos para casos de COVID-19 e equipar um maior número de unidades de cuidados intensivos e salas de isolamento. O apoio irá também contribuir para financiar a estratégia nacional de comunicação e disseminação de mensagens de prevenção e de protecção no curto e médio prazo.
  • Médio Oriente e Norte de África: Será implementada uma subvenção da IDA de USD 26,9 milhões, em parceria com a OMS, para ajudar o Iémen a conter a propagação e a mitigar os riscos associados com a COVID-19. O Banco Mundial está igualmente a apoiar a execução do Plano de Preparação do Djibuti com um crédito da IDA de USD 5 milhões. O apoio centrar-se-á nas necessidades imediatas e na resposta à pandemia, ajudando ao mesmo tempo a reforçar os sistemas de saúde do país.
  • Ásia Austral: uma verba de USD 100 milhões apoiará o Afeganistão no que toca a abrandar e limitar a propagação de COVID-19 através de detecção, vigilância e sistemas laboratoriais aperfeiçoados, bem como a reforçar a prestação de cuidados essenciais de saúde e de cuidados intensivos. Na India, um financiamento de emergência de USD 1 000 milhões irá apoiar a despistagem, identificação de contactos e diagnósticos de laboratórios; adquirir equipamento de protecção individual; e instalar novas áreas de isolamento. O Paquistão receberá USD 200 milhões para apoiar a resposta em termos de preparação e resposta de emergência no sector da saúde e incluirá medidas de protecção social e de educação para ajudar os pobres e os vulneráveis a enfrentarem os impactos imediatos da pandemia.

Conjunto Inicial de Projectos de Resposta de Emergência à COVID-19
Financiado ao abrigo do Mecanismo Acelerado* 

País

$USD (Milhões)

País

$USD (Milhões)

Afeganistão

100.4

Maldivas

7.3

Argentina

35.0

Mauritânia

5.2

Cabo Verde

5.0

Mongólia

26.9

Camboja

20.0

Paquistão

200.0

Dem. Rep. of Congo

47.2

Paraguai

20.0

Djibouti

5.0

São Tomé e Príncipe

2.5

Equador

20.0

Senegal

 20.0

Etiópia

82.6

Serra Leoa

7.5

Gana

35.0

Sri Lanka

128.6

Haiti

20.0

Tajiquistão

11.3

India

1,000.0

Gâmbia

10.0

Quénia

50.0

Iémen

26.9

Rep. Do Quirguistão

12.5

 

 

*Projecto Total indica o montante total da operação, financiamento FTF e da IDA18, BIRD, Fundos Fiduciários ou IDA 19 concentrado na fase inicial.


A Corporação Financeira Internacional (IFC) está a conceder um financiamento de USD 8 000 milhões para ajudar as empresas privadas afectadas pela pandemia e preservar empregos. A IFC já está a trabalhar para organizar rapidamente cerca de 300 empresas nos mercados emergentes com vista a apoiar a actividade do sector privado.

As acções da IFC incluem a concessão de linhas de crédito para financiamento do comércio e de fundo de maneio a instituições financeiras parceiras, bem como apoio aos clientes existentes nas áreas de infraestruturas, manufactura, agricultura e serviços vulneráveis à pandemia. Até à data, a IFC comprometeu-se com 470 transacções no montante de USD 545 milhões em linhas de financiamento ao comércio através do seu Programa Global de Financiamento do Comércio, 54% do qual foi em países frágeis e de baixo rendimento e 29% na África Subsariana e MENA.

O apoio financeiro mais amplo inclui USD 6 000 milhões em garantias de empréstimos da Agência Multilateral de Garantia do Investimento (MIGA), que concede seguro de risco político e aumento de crédito aos investidores e agentes financiadores privados.


COMUNICADO À IMPRENSA Nº 2020/157/EXC

Contatos

Em Washington:
David Theis
(202) 458-8626
dtheis@worldbankgroup.org
Transmissão:
David Young
(202) 473-4691
dyoung7@worldbank.org
Api
Api