Learn how the World Bank Group is helping countries with COVID-19 (coronavirus). Find Out

COMUNICADO À IMPRENSA

Os preços dos produtos básicos industriais deverão aumentar em 2017: Banco Mundial

26 de Abril de 2017


Os preços do petróleo deverão manter a média de US$ 55 por barril em 2017 e elevar-se no próximo ano.

WASHINGTON, 26 de abril de 2017 – O Banco Mundial está prevendo preços mais elevados para os produtos básicos industriais, principalmente energia elétrica e metais, em 2017 e no próximo ano. 

O Banco Mundial, na edição de abril da sua Commodity Markets Outlook (Previsão dos Mercados de Produtos Básicos) está mantendo inalterada sua previsão de US$ 55 por barril para o preço do petróleo bruto para este ano, com aumento para US$ 60 por barril, em média, para 2018. A elevação dos preços do petróleo, sustentada pela redução da produção por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e por países não membros da OPEP, permitirá que os mercados se reequilibrem gradualmente. Essas previsões de preços do petróleo estão sujeitas a riscos de perdas, caso a recuperação do setor de óleo de xisto seja superior à esperada.

Os preços de produtos básicos energéticos, que também incluem gás natural e carvão, deverão saltar 26% este ano e 8% em 2018. De acordo com as previsões de preços do petróleo, o gás natural deverá subir 15% este ano, levado por um aumento nos preços nos EUA. O preço do carvão deverá aumentar 6% em 2017 devido a restrições iniciais de fornecimento na China, que consome metade de todo o carvão produzido no mundo.

Os preços dos produtos básicos não energéticos, que incluem produtos agrícolas, fertilizantes e metais e minerais, deverão subir em 2017, a primeira elevação em cinco anos. A projeção para os preços dos metais é de aumento de 16% este ano devido à forte demanda, particularmente da China, e das restrições de fornecimento, que incluem as interrupções das minas no Chile, Indonésia e Peru.

Baixar a edição de abril da Commodity Markets Outlook

As greves de trabalhadores e as disputas contratuais em grandes minas contribuíram para a elevação dos preços do cobre. Contudo, há expectativa de queda de 1% nos preços dos metais preciosos este ano, e de 1% no próximo ano, à medida que as taxas de juros de referência aumentarem e as compras protegidas diminuírem.

Entre os componentes de produtos básicos não energéticos, o índice de preços agrícolas como um todo deverá permanecer estável este ano, uma vez que as quedas nos preços dos grãos deverão ser compensadas pelos aumentos de preço de óleos, sementes oleaginosas e matérias-primas.

“Condições favoráveis levaram os coeficientes estoque-consumo de trigo, milho e arroz a altas inéditas em 15 anos”, disse John Baffes, Economista Sênior e principal autor da Commodity Markets Outlook. “As avaliações apontam para um excedente neste ano e no próximo com relação às ofertas globais dos principais grãos.”

Os preços das bebidas, que incluem café, cacau e chá, deverão sofrer redução de mais de 6% em 2017, devido à oferta acima da expectativa. A projeção para as matérias-primas agrícolas é de elevação de 4%. O fim do ciclo El Niño/La Niña reduz o risco ascendente de preços nas previsões de produtos básicos agrícolas para o período 2017-2018.

A Commodity Markets Outlook oferece uma análise de mercado detalhada dos principais grupos de produtos básicos, incluindo energia, metais, produtos agrícolas, metais preciosos e fertilizantes. O relatório inclui previsões de preços até 2030 de 46 produtos básicos e fornece dados de preços históricos.

Image
 

Contatos com a mídia:
In Washington:
Mark Felsenthal
tel : +1 (202) 458-0051
mfelsenthal@worldbank.org
Phil Hay
tel : +1 (202) 473-1796
phay@worldbank.org
For Broadcast Requests:
Lysette Cohen
tel : +1 (202) (202) 473-2639
lcohen1@worldbankgroup.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2017/217/DEC

Api
Api