Learn how the World Bank Group is helping countries with COVID-19 (coronavirus). Find Out

COMUNICADO À IMPRENSA

O Grupo Banco Mundial lança a primeira Estratégia de Parceria de Países no Suriname em 30 anos

18 de Dezembro de 2014


A nova estratégia visa a apoiar um crescimento mais sustentável, inclusivo e diversificado

WASHINGTON, D.C., 18 de dezembro de 2014 – A Diretoria Executiva do Grupo Banco Mundial endossou hoje uma nova Estratégia de Parcerias de Países (CPS) para o Suriname para 2015-2018. Esta é a primeira estratégia abrangente em 30 anos.

A nova estratégia propõe um programa de empréstimos de cerca de US$ 60 milhões para apoiar as iniciativas do Suriname em alavancar e manter o seu crescimento econômico por meio de maior inclusão e diversificação econômica.

“O crescimento econômico na última década tem sido sólido, porém altamente dependente do setor de mineração. Essa Estratégia de Parcerias de Países e nossa colaboração com o Grupo Banco Mundial e outras instituições financeiras internacionais de destaque apoiarão nossos esforços no sentido de alcançar um crescimento mais sustentável e com melhores oportunidades para todos”, afirmou Gillmore Hoefdraad, Governador do Banco Central do Suriname.

Na última década o Suriname surgiu como um dos países do Caribe com melhor desempenho em termos de crescimento econômico. No entanto, 30% das exportações e do emprego estão vinculados à extração, processamento e comércio do ouro, petróleo e bauxita. Além disso, o país é altamente vulnerável à mudança climática e à elevação do nível do mar.

“Embora o Suriname tenha registrado um crescimento médio de 4,4% de 2000 a 2012, a pobreza continua a predominar, especialmente nas áreas do interior, e o progresso do desenvolvimento é altamente vulnerável a desastres climáticos,” afirmou Sophie Sirtaine, Diretora de País do Banco Mundial para o Caribe”. “Esta nova parceria reflete um esforço comum para impulsionar o crescimento inclusivo do setor privado e aumentar a resiliência climática,” acrescentou ela.

Orientado pelas prioridades do Plano Nacional de Desenvolvimento do governo, as duas principais áreas de apoio a ser prestado pelo Banco Mundial são:

  • Melhoria do clima de negócios mediante a redução do tempo necessário para um empresário fazer a liberação alfandegária, melhoria do acesso ao financiamento por meio de regulamentações e procedimentos simplificados de negócios, bem como adoção de padrões modernos de transparência na apresentação de relatórios financeiros.

No setor de indústrias extrativistas, o Grupo Banco Mundial enfocará a divulgação de boas práticas nas áreas de transparência, compartilhamento de benefícios e impacto socioambiental. No setor de agronegócios o Grupo Banco Mundial enfocará a melhoria dos padrões ambientais e a qualidade da produção.

  • Redução da vulnerabilidade à mudança climática relacionada com enchentes mediante a adoção de um plano abrangente de gestão de risco de enchentes enfocado no litoral norte de Paramaribo, altamente exposto a enchentes e erosão. O Governo tomou algumas medidas importantes de redução de riscos e planeja ampliar sua intervenção para proteger as margens do Rio Suriname ao longo da cidade de Panamaribo e melhorar seu sistema urbano de drenagem. Além disso, o Grupo Banco Mundial ajudará o Suriname a gerenciar melhor o custo financeiro dos desastres naturais, por exemplo, por meio da possibilidade de participar do Mecanismo de Seguro contra Riscos de Catástrofes no Caribe (CCRIF).

A Estratégia de Parcerias de Países também inclui ênfase transetorial em aumentar a capacidade do país de medir e analisar dados sobre pobreza e gênero para a elaboração de uma política bem informada. Em parceria com o Ministério das Finanças e outros doadores, o Banco Mundial trabalhará com o Serviço de Estatísticas do Suriname na realização de um diagnóstico abrangente sobre pobreza e gênero.

A CPS apresenta o programa de parceria do Grupo Banco Mundial com o Suriname, preparado em conjunto pelo Governo do Suriname e pelo Grupo Banco Mundial, Corporação Financeira Internacional (IFC) e Agência Multilateral de Garantia de Investimentos (MIGA).

A IFC do Grupo Banco Mundial, a maior instituição global de desenvolvimento enfocada exclusivamente no setor privado, atualmente apoia o estabelecimento do primeiro sistema de comunicação do crédito para aumentar o acesso ao financiamento por parte de mutuários e pequenos negócios desassistidos. Em meados de 2012 a IFC proporcionou uma linha de crédito de financiamento comercial de até US$ 5 milhões para impulsionar as transações comerciais internacionais do Surinaamsche Bank. A IFC está atualmente examinando oportunidades de investimento e consultoria no Suriname.

“A IFC está pronta para ser parceira do setor privado do Suriname com o objetivo de apoiar a competitividade do país e melhorar o clima de negócios”, afirmou Jun Zhang, Gerente Sênior da IFC para o Caribe. “A IFC focará o desenvolvimento de oportunidades no setor financeiro, de agronegócios e mineração, bem como parcerias público-privadas.”

Essa parceira foi desenvolvida em estreita colaboração com o Governo do Suriname e em consulta com o setor privado principal, parlamento, sociedade civil e parceiros do desenvolvimento externo.



Contatos com a mídia:
Em Banco Mundial: Washington, DC
Christelle Chapoy
tel : + 1 (202) 361 4255
cchapoy@worldbank.org
Em IFC: Washington, DC
Vanessa Bauza
tel : +1 (202) 458-1603
VBauza@ifc.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2015/255/LAC

Api
Api