COMUNICADO À IMPRENSA

Shakira e Banco Mundial Lançam Iniciativa para o Desenvolvimento Infantil no Valor de US$300 milhões

22 de Fevereiro de 2010




WASHINGTON DC, 22 de fevereiro de 2010 - A cantora Shakira, ganhadora do prêmio Grammy, e o Presidente do Grupo Banco Mundial, Robert B. Zoellick, lançaram hoje uma iniciativa conjunta no valor de US$300 milhões, que tem como objetivo expandir os programas de desenvolvimento infantil na América Latina e no Caribe.

A “Iniciativa para o Desenvolvimento Infantil: Um investimento para a vida inteira” visa detectar políticas eficientes em termos de custo e recursos na região, mobilizando ao mesmo tempo o apoio público no sentido de ampliar as oportunidades para seus jovens cidadãos e assim ajudá-los a superar a profunda desigualdade com a qual se deparam, afirmou Zoellick, durante a cerimônia de assinatura do acordo de parceria entre a Fundação ALAS de Shakira, o Instituto da Terra da Universidade de Columbia e o Banco Mundial, que teve lugar na sede do Banco Mundial em Washington, D.C.

Os programas de Desenvolvimento Infantil (DPI) oferecem às crianças alimentação e cuidados de saúde adequados, além de um ambiente estimulante desde o momento de sua concepção até a idade de seis anos, um período essencial para o desenvolvimento do pleno potencial infantil. A iniciativa contribuirá para a expansão dos programas de DPI em uma região onde nove milhões de crianças abaixo de cinco anos sofrem de desnutrição crônica e 22 milhões não têm acesso a cuidados básicos na primeira infância.

“Se quisermos construir um mundo melhor, temos de dar às crianças a oportunidade de melhorar suas condições de vida, independentemente de onde tenham nascido ou da difícil situação em que vivem. Ao oferecermos a cada criança um início de vida adequado, estaremos melhorando o futuro de nossa coletividade”, Shakira enfatizou, dirigindo-se a um público de 100 pessoas muito importantes, entre as quais embaixadores e funcionários do setor de educação da América Latina e do Caribe, além de representantes de outras organizações internacionais.

A cantora colombiana é a principal ativista em prol das crianças e criadora da Fundação América Latina em Ação Solidária ALAS – uma coalizão de artistas latino-americanos e líderes empresariais que promovem a adoção de amplos programas de DPI na região.

Esta iniciativa pioneira proporcionará nos próximos dois anos US$300 milhões em recursos na forma de empréstimos, doações e fundos fiduciários, assim como de assistência técnica para a elaboração e implementação de políticas de DPI na América Latina e no Caribe. Entre seus objetivos também se encontra a expansão de uma comunidade de aprendizagem para profissionais com o objetivo de intercambiar conhecimento e experiências.

A ALAS – e Shakira em particularderam uma enorme contribuição ao colocar as crianças como elemento prioritário das políticas públicas na América Latina”, salientou Zoellick. “Temos o prazer de trabalhar com ela, com a ALAS e o Instituto da Terra para oferecer esperança e oportunidades para as crianças, que merecem um futuro melhor.”

Zoellick e Shakira explicaram que os investimentos em programas de DPI estão entre os mais eficazes e eficientes em termos de custos que um país pode implementar porque as crianças participantes demonstram uma melhoria na saúde e nos resultados escolares, ao mesmo tempo em que apresentam maiores índices de produtividade e de renda nos anos posteriores. Eles observaram que as consequências na demora das intervenções para o desenvolvimento infantil são difíceis e custosas para se reverter ao longo da vida, como ilustra a recente publicação do Banco Mundial The Promise for Early Childhood Development in Latin America [A Promessa do Desenvolvimento da Primeira Infância na América Latina].

Citando a resposta emergencial para o Haiti como um exemplo oportuno de trabalho em parceria, Zoellick afirmou que as iniciativas de DPI desempenharão um papel primordial na reconstrução do País, onde a atenção será focalizada na reconstrução não apenas da infra-estrutura mas também do potencial de seu povo. O Presidente do Grupo Banco Mundial enfatizou a importância da parceria com a UNICEF, a UNESCO e o Programa Mundial de Alimentos, entre outros, visando proporcionar um alívio imediato para as crianças do Haiti e atenuar o impacto de longo prazo do terremoto de 12 de janeiro sobre toda uma geração de cidadãos.

Um dos primeiros programas da iniciativa será o estabelecimento de uma parceria com um órgão estatal do México, o Conselho Nacional de Fomento Educativo (CONAFE), para fornecer treinamento destinado aos pais e profissionais de saúde, com o objetivo de melhorar seus conhecimentos e práticas no atendimento infantil entre 0 e 4 anos. A iniciativa se concentrará nos 172 municípios mais pobres do México, localizados nos estados do sul.

Além de proporcionar recursos aos países participantes, a Iniciativa para o Desenvolvimento Infantil atuará em conjunto com a Secretaria de DPI para a América Latina e o Caribe – um projeto da ALAS, do Instituto da Terra e dos governos do México, da Colômbia, do Chile, do Panamá, do Paraguai e da Argentina – no sentido de desenvolver melhores práticas e identificar projetos piloto promissores para crianças abaixo de seis anos. Esse trabalho será apresentado na Reunião de Cúpula das Nações Unidas sobre as Metas de Desenvolvimento do Milênio, que ocorrerá em setembro próximo e na XX Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado, em novembro, na cidade de Mar del Plata, na Argentina.

Nos últimos 20 anos, o Banco Mundial vem ajudando os governos em mais de 50 países a investir no desenvolvimento infantil. Na América Latina e no Caribe, a instituição financiou mais de 30 projetos de DPI, incluindo assistência técnica, pesquisa e financiamento de programas. Atualmente, os investimentos públicos e privados nessas iniciativas se situam em uma faixa que varia entre menos de 1% e cerca de 12% dos gastos totais em educação dos países da região, de acordo com as estimativas do Banco Mundial.

Nota para os editores:

  • Em 2009, a ALAS, em parceria com o Instituto da Terra da Universidade de Columbia, criou a Secretaria de Desenvolvimento Infantil para a América Latina e o Caribe, composta por delegados de organizações internacionais e representantes dos governos do Chile, Colômbia, México, Argentina, Panamá e Paraguai. Em dezembro passado, acompanhada do economista Jeffrey Sachs, Shakira fez um pronunciamento na XIX Reunião de Cúpula Ibero-Americana,. Ambos assumiram o compromisso de tornar a educação pré-escolar o principal tópico da Cúpula deste ano, em Mar del Plata, na Argentina.
  • Shakira estabeleceu a Fundación Pies Descalzos (Fundação Pés Descalços) em 1995. Hoje, a entidade apóia seis escolas na Colômbia e mais de 6.000 estudantes e suas famílias, que foram afetados pela pobreza e o deslocamento populacional, com refeições nutritivas, educação e serviços de assistência psicológica. Em 2008, Shakira criou a Barefoot Foundation (Fundação Pés Descalços), uma organização sem fins lucrativos, dedicada à educação universal. Em janeiro de 2010, a Barefoot Foundation e o membro da diretoria, Howard Buffett, anunciaram planos de construir uma Barefoot School (Escola para Pés Descalços) no Haiti, com vistas a apoiar os esforços de reconstrução.

Outras iniciativas de DPI do Banco Mundial na região compreendem:

Brasil: O Banco está cooperando com pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) na realização de uma avaliação de creches públicas (destinadas às crianças entre 0 e 4 anos), aproveitando um sistema de loteria para alocar espaços limitados em creches municipais. Os resultados iniciais mostram que as creches produziram um apoio efetivo para as mães estressadas. Está sendo elaborado um programa com o município do Rio de Janeiro visando apoiar reformas nas políticas de DPI.

Chile: Trabalhando em estreita colaboração com um pesquisador chileno local, o Banco Mundial está preparando uma nota de política para o Ministério da Fazenda sobre o planejamento institucional adequado para investimentos em DPI. O estudo se concentra na criação de uma estrutura institucional para apoiar, credenciar e garantir a qualidade dos serviços de DPI, apresentando uma análise dos exemplos de boas práticas no mundo inteiro que possam demonstrar diferentes abordagens relevantes para o contexto chileno.

Colômbia: Discussões preliminares abrangem a provisão de serviços de qualidade para o Desenvolvimento Infantil entre famílias pobres colombianas, como parte do programa de assistência técnica do Banco Mundial estabelecido com a Colômbia.

República Dominicana: Desde 2002, o Banco financiou um projeto de DPI na República Dominicana, no valor de US$42 milhões, que ampliou a disponibilidade dos serviços educacionais pré-escolares de alta qualidade e criou 17 Centros Regionais Modelo para educação e assistência infantil. Além disso, a iniciativa apoiou mais de 60 subprojetos por meio de um Programa de Doações competitivo, visando oferecer apoio entre instituições para o desenvolvimento infantil.

Jamaica: Na Jamaica, o Banco está co-financiando a implementação do Plano Nacional Estratégico para o Desenvolvimento Infantil. Especificamente, o plano tem como objetivo aperfeiçoar o monitoramento do desenvolvimento na primeira infância, a análise dos riscos no nível familiar e os sistemas adequados a intervenções prematuras. Outra área importante é a melhoria da qualidade das escolas de nível pré-escolar, assim como o fortalecimento das organizações e instituições dedicadas à primeira infância.

Contatos com a mídia:
Em Banco Mundial
Gabriela Aguilar
tel : (202) 290-8512
gaguilar2@worldbank.org
Em Fundação ALAS
Ruth Infarinato
tel : (786) 267-0579
ruth.infarinato@fundacionalas.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2010/264/LAC

Api
Api