Skip to Main Navigation
Factsheet 2 de Abril de 2020

Resposta do Banco Mundial ao COVID-19 (coronavírus) na América Latina e Caribe

Image

* Dada a urgência da pandemia, estamos trabalhando com os países-membros para acelerar nosso apoio. Esta página será atualizada à medida que aprovarmos novas operações.*

* Última atualização em 1º setembro de 2020*

O que o Banco Mundial está fazendo para apoiar a resposta da América Latina e Caribe à COVID-19?

·         O Banco Mundial está apoiando os esforços da América Latina e do Caribe para enfrentar rapidamente os impactos relacionados à COVID-19, por meio de novas operações e redirecionando fundos de projetos existentes.

·         Nos próximos 15 meses, a assistência do Banco Mundial aos países em desenvolvimento chegará a US$ 160 bilhões globalmente. Muito desse total beneficiará os governos da América Latina e Caribe (LAC) para lidar melhor com a emergência.

·         Quase US$ 4 bilhões estão sendo destinados a toda a LAC para responder à COVID-19. Isso permitirá que os países minimizem a perda de vidas, fortaleçam os sistemas de saúde e a vigilância epidemiológica, atenuem o impacto econômico da pandemia e trabalhem com parceiros e o setor privado para resolver questões da cadeia de suprimentos.

Quais operações estão sendo implantadas para responder à COVID-19 na América Latina e Caribe?

·         Projetos específicos foram aprovados para apoiar a resposta à COVID-19 em vários países.

·         Respostas adicionais incluem a ativação de Crédito com Desembolso Deferido para Catástrofes (CAT DDO), a relocação de recursos de projetos existentes ou o uso dos Componentes de Resposta a Emergências de Contingência (CERCs) em projetos.

·         O trabalho em programas contra a COVID-19 também foi iniciado em vários outros países; isso será anunciado no devido tempo.

Projetos específicos

Argentina

·         A operação argentina de US$ 35 milhões apoiará a detecção e os esforços de resposta do governo contra a COVID-19. Especificamente, tem como objetivo: ajudar a identificar rapidamente novos casos, prestar cuidados de forma oportuna, minimizar a propagação da doença e preparar o sistema de saúde para o aumento dos níveis de demanda. Além disso, fortalecerá a rede de laboratórios de saúde pública da Argentina e a capacidade epidemiológica para notificação precoce e diagnóstico de casos, além de minimizar riscos para os profissionais de saúde de linha de frente, entre outras ações. Comunicado à Imprensa (em inglês).

Bolívia

·         O projeto "Redes de Segurança de Emergência para a Crise da COVID-19" busca reduzir as consequências econômicas da emergência sanitária e apoiar a capacidade de as famílias ficarem em distanciamento social para evitar novas perdas de vidas e capital humano. Um empréstimo e dois créditos (um deles é concessionário) totalizando US$ 254 milhões foram aprovados para a Bolívia. Esse financiamento será utilizado para ajudar o país a financiar transferências temporárias de dinheiro para famílias pobres e vulneráveis com crianças em idade escolar, pessoas com deficiência, idosos e trabalhadores informais impactados pelas medidas adotadas para conter a pandemia de COVID-19. Comunicado à imprensa (em inglês).

Colômbia

·         Em 26 de junho, o Banco Mundial aprovou US$ 700 milhões para apoiar a resposta da Colômbia à pandemia de COVID-19. A operação ajudará a fortalecer o sistema de saúde, fornecer renda e apoio nutricional às famílias mais pobres e vulneráveis e manter a liquidez e o acesso das empresas ao financiamento. Comunicado à imprensa (em inglês).

Equador

·         A operação do Equador, de US$ 20 milhões, ajudará a responder à COVID-19, impulsionando os sistemas nacionais de saúde pública. O projeto financiará suprimentos médicos e equipamentos para viabilizar um maior número de Unidades de Terapia Intensiva e salas de isolamento. Além disso, contribuirá para o financiamento de uma estratégia nacional de comunicação sobre a pandemia e disseminação de mensagens de prevenção e proteção. Comunicado à imprensa (em inglês).

El Salvador

·         O Projeto de Resposta à Emergência da COVID-19 em El Salvador, de US$ 20 milhões, tem como objetivo ajudar a prevenir, detectar e responder à ameaça representada pela COVID-19 e fortalecer o sistema público de saúde nacional. O projeto permitirá que El Salvador invista em equipamentos hospitalares, suprimentos médicos (incluindo medicamentos, vacinas e equipamentos para a proteção de pessoal de saúde), treinamento para pessoal de saúde em hospitais públicos e esforços de comunicação e educação em saúde para cidadãos e pessoal de saúde, incluindo materiais educativos culturalmente adequados para populações vulneráveis. Comunicado à imprensa (em inglês).

Guatemala

·         Em 26 de junho, o Banco Mundial aprovou um projeto de US$ 20 milhões para a Guatemala fortalecer a capacidade de prevenir, detectar e responder à pandemia. O país poderá adquirir equipamentos e suprimentos médicos e laboratoriais e fortalecer a identificação precoce, o monitoramento, a notificação e o controle de focos. Esse projeto também financiará atividades de prevenção e educação, levando em conta a diversidade linguística e cultural do país, além de atividades de capacitação e aquisição de suprimentos de proteção e equipamentos para pessoal de saúde. Mais informações (em inglês).

Haiti

·         A subvenção de US$ 20 milhões ao Haiti ajudará o país a prevenir, detectar e responder à COVID-19, ao mesmo tempo em que fortalecerá os sistemas nacionais de preparação para a saúde pública. Mais especificamente, essa doação do IDA fornecerá ao Haiti apoio imediato para minimizar a transmissão da COVID-19 por meio de testes reforçados para detecção precoce e equipes de resposta rápida para conter surtos. Também mobilizará equipes adicionais de saúde e fornecerá equipamentos para melhorar o atendimento aos pacientes. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 29 de junho, o Banco Mundial aprovou US$ 20 milhões para apoiar a resposta à COVID-19 e a resiliência a longo prazo no Haiti. O financiamento visa aumentar a capacidade de o Haiti mitigar os impactos do surto de COVID-19 e aumentar a resiliência a riscos naturais e choques relacionados à saúde. Comunicado à imprensa (em inglês).

Honduras

·         O Projeto de Resposta à Emergência da COVID-19 em Honduras, de US$ 20 milhões, permitirá ao país investir em equipamentos hospitalares e em unidades de terapia intensiva, medicamentos e insumos médicos (incluindo equipamentos de proteção para pessoal de saúde, materiais higiênicos e de biossegurança, e equipamentos para laboratórios, unidades de isolamento e escritórios sanitários internacionais no país); assistência técnica e treinamento para profissionais de saúde sobre normas e protocolos para gerenciamento de casos, atendimento ao paciente e prevenção de infecções; e apoio operacional para equipes de resposta rápida para investigar e conter o contágio. Comunicado à imprensa (em inglês).

Paraguai

·         A operação do Paraguai, de US$ 20 milhões, tem como foco reforçar o sistema nacional de saúde para preparação e resposta à emergência da COVID-19. Mais especificamente, fortalecerá o sistema de saúde sobrecarregado do país - atualmente lidando com um dramático surto de dengue - para limitar a transmissão local da COVID-19. Além disso, o financiamento apoiará equipamentos de laboratório e sistemas de tecnologia para a promover a descoberta rápida de casos e o rastreamento de contatos; fortalecer a capacidade de atenção clínica; e equipar unidades básicas de saúde e hospitais para a prestação de serviços médicos críticos. Comunicado à imprensa (em inglês).

Trinidad e Tobago

·         O Banco Mundial aprovou US$ 20 milhões para um projeto que visa responder à pandemia de COVID-19 e fortalecer os sistemas nacionais de preparação em saúde pública. O financiamento apoiará a aquisição de suprimentos médicos importantes necessários para testes e diagnósticos, insumos para prevenção e controle de infecções em unidades de saúde e equipamentos de proteção individual para os funcionários. Também será prestado apoio ao sistema de saúde para reforçar a capacidade de gerenciar infecções futuras e fornecer treinamento sobre cuidados clínicos adequados e descarte seguro de resíduos. O financiamento para esse projeto é do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), como parte da Iniciativa de Fast-Track da COVID-19  oferecida para ajudar países em todo o mundo a enfrentar a pandemia. Comunicado à imprensa (em inglês).

Uruguai

·         O Banco Mundial aprovou um empréstimo emergencial de US$ 20 milhões para apoiar os esforços do governo uruguaio para minimizar os impactos da pandemia de COVID-19 no sistema de saúde. O financiamento ajudará a melhorar a capacidade de testagem, detecção precoce e tratamento de casos positivos de COVID-19, e contribuirá para a aquisição de suprimentos médicos e equipamentos para os trabalhadores de saúde pública de linha de frente. Comunicado à imprensa (em inglês).

Respostas adicionais

Além disso, os seguintes países estão recebendo apoio como parte das atividades de resposta à COVID-19:

Belize

·         O Banco Mundial mobilizou US$ 12,4 milhões para fornecer apoio à proteção social de famílias pobres e vulneráveis afetadas pela COVID-19. O financiamento apoiará programas de proteção social de redução da pobreza para atender mais de 13.000 famílias necessitadas. Essa resposta tem como alvo, em especial, os domicílios com gestantes, crianças, idosos e pessoas com deficiência. Esses recursos foram disponibilizados no âmbito do Componente de Resposta a Emergências de Contingência (CERC) do Projeto de Melhoria da Resiliência Climática. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em agosto, US$ 8 milhões em fundos foram realocados por meio do componente CERC do Projeto de Infraestrutura Resiliente ao Clima para apoiar o setor agrícola de Belize e melhorar a segurança alimentar no contexto da COVID-19. Este programa beneficiará mais de 8.700 famílias agrícolas no país. Saiba mais.

Bolívia

·         Por meio da reestruturação do Projeto de Rede de Serviços de Saúde, o Banco Mundial disponibilizou US$ 170 milhões imediatamente para reforçar a capacidade de resposta do sistema de saúde à pandemia de COVID-19. Os recursos estão sendo utilizados para a compra de insumos, equipamentos e materiais para prevenção, triagem e tratamento da COVID-19, bem como para a proteção dos profissionais de saúde. Comunicado à imprensa (em inglês).

Colômbia

·         A Colômbia também recebeu financiamento para lidar com os impactos relacionados ao COVID-19 na forma de uma operação de Crédito com Desembolso Deferido para Catástrofes (CAT DDO) totalizando US$ 250 milhões. Esse empréstimo de contingência faz parte da estratégia de financiamento de risco de desastres do país, que permite que ele seja preparado em caso de desastre ou emergência sanitária, como a COVID-19. O recurso é imediatamente desembolsado. Comunicado à imprensa (em inglês).

República Dominicana

·         Para enfrentar a COVID-19, a República Dominicana ativou um empréstimo de política de Crédito com Desembolso Deferido para Catástrofes (CAT DDO). Essa linha de crédito de contingência de US$ 150 milhões ajudará o país a implementar medidas emergenciais para conter o contágio e gerenciar os impactos na saúde e na economia. Além disso, o financiamento apoiará o aumento dos testes e ampliará os programas de proteção social. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 18 de junho, o Banco Mundial aprovou US$ 100 milhões para apoiar a resposta à emergência da COVID-19 na República Dominicana. Esse financiamento ajudará a melhorar a capacidade do sistema de saúde, apoiar a população mais vulnerável e reduzir a carga financeira sobre as empresas e as famílias pobres. Comunicado à imprensa (em inglês).

Dominica

·         O Banco Mundial mobilizou em 15 de abril US$ 6,6 milhões de financiamento imediato para a resposta de emergência da Dominica à pandemia, com objetivo de aumentar a capacidade do sistema de saúde e fortalecer a segurança alimentar. US$ 5,1 milhões serão usados para reforçar a capacidade do sistema público de saúde da Dominica para gerenciar a COVID-19. Os recursos estarão disponíveis para a compra de medicamentos, suprimentos médicos, equipamentos e insumos laboratoriais para aumentar a capacidade de teste e fazer pequenos ajustes nas unidades de isolamento. Outro US$ 1,5 milhão será usado para apoiar a agricultura e fortalecer a segurança alimentar nacional durante a pandemia. A atividade tem como meta beneficiar cerca de 3.200 agricultores para garantir que as cadeias de fornecimento de alimentos locais sejam mais capazes de atender às necessidades da ilha. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 26 de junho, foi aprovado um financiamento adicional de US$ 3 milhões para o Projeto Regional de Saúde da Organização dos Estados do Caribe Oriental,  na Dominica. Isso reabastece fundos que foram redirecionados para fins emergenciais relacionados à pandemia COVID-19. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 30 de junho, foi aprovado um financiamento adicional de US$ 3,6 milhões para o Projeto de Emergência para os Meios de Subsistência Agrícola e Resiliência Climática da Dominica, para restaurar fundos que foram usados na resposta de emergência COVID-19 e apoiar os objetivos de segurança alimentar e resiliência climática. Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em agosto, o Banco Mundial ativou US$ 5,2 milhões em fundos por meio do componente CERC do Projeto de recuperação habitacional da Dominica para fornecer apoio de renda às pessoas economicamente afetadas pela pandemia, desde que atendam aos critérios estabelecidos. Os subsídios serão distribuídos a mais de 7.000 dominicanos sob o Programa Governamental de Apoio ao Sustento e Proteção Social. Comunicado à imprensa (em inglês).

Granada

·         O Banco Mundial mobilizou US$ 2,5 milhões para apoiar a resposta do COVID-19 em Granada. O financiamento será utilizado para aumentar a capacidade de testagem, equipar unidades de saúde, fortalecer a capacidade de isolamento e reforçar as atividades de vigilância. Esses recursos foram mobilizados no âmbito do Componente de Resposta a Emergências de Contingência (CERC) do Projeto Regional de Saúde da OECS. Saiba mais (em inglês).

·         Em 26 de junho, foi aprovado um financiamento adicional de US$ 2,5 milhões para o Projeto Regional de Saúde da Organização dos Estados do Caribe Oriental em Granada. Isso reabastece fundos que foram redirecionados para fins emergenciais relacionados à pandemia COVID-19. Comunicado à imprensa (em inglês).

Haiti

·         O Banco Mundial ativou US$ 9,5 milhões para apoiar a segurança alimentar no Haiti no contexto da COVID-19. O financiamento será utilizado para salvaguardar a produção para as próximas duas safras, manter o poder aquisitivo dos pobres rurais e urbanos e preservar os mercados de alimentos e cadeias de valor. Esse financiamento permitirá que 21.500 agricultores financiem insumos e materiais, como sementes e fertilizantes, e apoiará a preparação da terra. Esses fundos foram mobilizados sob o Projeto Paisagem Produtiva Resiliente do Haiti usando o Componente de Resposta a Emergências de Contingência (CERC). Comunicado à imprensa (em inglês).

Honduras

·         O Banco Mundial aprovou um crédito de US$ 119 milhões para permitir que Honduras mobilize recursos financeiros imediatos para responder à emergência causada pela COVID-19. O principal objetivo do Crédito com Desembolso Deferido para Catástrofes (CAT DDO) é fortalecer o quadro financeiro e institucional de Honduras para gerenciar riscos de eventos naturais adversos e emergências em saúde. Comunicado à imprensa (em inglês).

Panamá

·         Em apoio à resposta do governo panamenho à emergência sanitária da COVID-19, o Banco Mundial autorizou o desembolso de US$ 41 milhões de um empréstimo de política de desenvolvimento que fortalece a agenda de redução do risco de desastres em todo o país. As autoridades panamenhas declararam estado de emergência nacional em 13 de março para enfrentar a crise de saúde, que permitiu o desembolso feito em 25 de março por meio do mecanismo conhecido como Crédito com Desembolso Deferido para Catástrofes (CAT DDO), um financiamento contingente para enfrentar choques relacionados a desastres e/ou eventos relacionados à saúde.

·         Dentro do projeto de apoio ao Plano Nacional de Desenvolvimento dos Povos Indígenas, este ano o Plano Operacional Anual foi modificado para tratar da COVID-19 em territórios indígenas. O componente 2 do projeto inclui financiamento para o setor de saúde. Assim, em coordenação com o Ministério da Saúde e em consulta ao Conselho dos Povos Indígenas, os insumos médicos foram avaliados e validados para financiamento como parte do projeto com um desembolso de US$ 2 milhões, que entrou em vigor no início de julho de 2020.

Peru

·         Em 20 de agosto, o governo peruano recebeu um desembolso de cerca de US$ 1,8 bilhão de uma opção de desembolso diferido do Banco Mundial de modo a financiar parcialmente transferências de renda e cobertura de despesas excepcionais para famílias pobres e vulneráveis impactadas pela pandemia. Entre maio e julho, o Banco Mundial realizou três rodadas de pesquisas telefônicas para avaliar o impacto da crise nos domicílios peruanos. Os resultados mostraram que a perda de emprego e fontes de renda foi muito alta no Peru, e mais acentuada para os setores independentes, informais e não escolarizados da população.

Santa Lúcia

·         Santa Lúcia se beneficiará de US$ 10,5 milhões mobilizados de projetos do Banco Mundial para apoiar a resposta do país à COVID-19. Esse financiamento, que foi lançado em 29 de abril, fortalecerá os esforços de Santa Lúcia para enfrentar os impactos da pandemia na saúde e na economia. O financiamento para o sistema de saúde ajudará a aumentar a capacidade de testagem, construir unidades de isolamento e aprimorar campanhas de informação pública para ajudar na conscientização e prevenção. Também apoiará a reabilitação do Hospital Victoria e de outras instalações médicas, criando emprego por meio das obras civis intensivas em mão-de-obra, que também tornarão a infraestrutura mais resiliente aos efeitos das mudanças climáticas. Esses recursos foram acessados nos componentes de resposta a emergências de contingência do Projeto de Fortalecimento do Sistema de Saúde de Santa Lúcia e do Projeto de Redução de Vulnerabilidades de Desastres.  Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 26 de junho, foi aprovado um financiamento adicional de US$ 5 milhões para o Projeto de Fortalecimento do Sistema de Saúde em Santa Lúcia. Isso reabastece fundos que foram redirecionados para fins emergenciais relacionados à pandemia de COVID-19. Comunicado à imprensa (em inglês).

São Vicente e Granadinas

·         Em 17 de abril, o Banco Mundial disponibilizou US$ 4,5 milhões de financiamento imediato para a resposta à pandemia, visando fortalecer a capacidade do sistema de saúde local. O financiamento será usado para melhorar a capacidade de isolamento dos pacientes, aumentar a capacidade de testagem e comprar suprimentos críticos, incluindo equipamentos de proteção individual, unidades de isolamento móvel, equipamentos de teste, reagentes, luvas e máscaras. Também apoiará a capacidade de preparação e resposta para outras emergências de saúde pública, aumentando o acesso a equipamentos médicos e ampliando a capacidade dos hospitais. Esses fundos foram mobilizados no âmbito do Projeto Regional de Saúde da Organização dos Estados do Caribe Oriental (OECS), utilizando o Componente de Resposta a Emergências de Contingência (CERC). Comunicado à imprensa (em inglês).

·         Em 26 de junho, foi aprovado um financiamento adicional de US$ 4,5 milhões para o Projeto Regional de Saúde dos Estados do Caribe Oriental em São Vicente e Granadinas. Isso reabastece fundos que foram redirecionados para fins emergenciais relacionados à pandemia COVID-19.  Comunicado à imprensa (em inglês).

Suriname

·         O Banco Mundial disponibilizou US$ 412.000 em 4 de maio para comprar suprimentos médicos essenciais no Suriname para resposta emergencial à pandemia. O Suriname respondeu rapidamente para obter suprimentos-chave com antecedência, que agora estão sendo financiados retroativamente. Os recursos foram mobilizados no âmbito do Projeto de Reabilitação do Sistema do Canal de Saramacca, utilizando o Componente de Resposta a Emergências de Contingência. Comunicado à imprensa (em inglês).

Última atualização: 1 de setembro de 2020