COMUNICADO À IMPRENSA

O Banco Mundial aumenta a previsão de preços do petróleo para 2016

26 de julho de 2016


Os preços do petróleo são mais altos devido a interrupções do suprimento e forte demanda no segundo trimestre

WASHINGTON, D.C., 26 de julho de 2016 – O Banco Mundial aumentou sua previsão para 2016 dos preços do petróleo bruto de US$ 41 para US$ 43 por barril devido a interrupções no suprimento e forte demanda no segundo trimestre.

Os preços do petróleo aumentaram 37% no segundo trimestre de 2016 devido a interrupções no suprimento, especialmente incêndios no Canadá e sabotagem na infraestrutura do petróleo na Nigéria. A previsão revisada figura na última publicação deCommodities Markets Outlook (Previsão dos Mercados de Produtos Básicos) e leva em consideração o recente enfraquecimento da demanda e a recuperação de certas cadeias de suprimento interrompidas.

 “Prevemos preços do petróleo ligeiramente mais altos no segundo semestre de 2016 à medida que diminuir o excesso da oferta do mercado do petróleo,” afirmou John Baffes, Economista Sênior e principal autor do Commodities Markets Outlook. “No entanto, os inventários continuam altos e levará certo tempo para baixarem.”

Apesar da recuperação do petróleo e do preço de muitos outros produtos básicos no segundo semestre de 2016, a maioria dos índices desses produtos rastreados pelo Banco Mundial deverá diminuir neste ano.  Deve-se esta tendência a suprimentos persistentemente elevados e no caso de produtos básicos industriais – que incluem energia, metais e matéria-prima agrícola – a perspectivas de baixo crescimento nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento. No entanto, a maior parte dessa redução deverá ser inferior à previsão de abril.

O preço da energia – que inclui o do petróleo, gás natural e carvão – deverá diminuir 16,4% em 2016, uma queda mais gradual do que os 19,3% previstos em abril. Os produtos básicos não energéticos – tais como metais e minerais, agricultura e fertilizantes – deverão diminuir 3,7% neste ano, uma contração mais moderada do que a redução de 5,1% prevista anteriormente.

O preço dos metais deverá cair 11% no próximo ano, uma queda mais acentuada do que os 8,2% previstos em abril, refletindo uma fraca expectativa da demanda e o surgimento de uma nova capacidade. Segundo as previsões, os preços da agricultura deverão cair menos do que o projetado em abril como resultado da redução de colheitas na América do Sul e estabilização da demanda de biocombustíveis.

Como a energia representa mais de 10% do custo da produção agrícola, a oscilação dos preços da energia tem sido um fator importante no caminho dos preços dos alimentos, o que, segundo a Commodity Markets Outlook, constitui uma característica especial. Os preços da energia caíram 45% em 2015 e, segundo previsto, deverão cair novamente neste ano. Cerca de um terço da provável queda de 32% nos preços dos produtos básicos de cereais e soja de 2011 a 2016 é devida ao declínio dos preços da energia.

Os preços mais baixos da energia também reduziram as pressões para produzir biocombustíveis como fonte alternativa de energia. A produção de biocombustíveis tem sido um impulsor importante do aumento da demanda de produtos alimentícios básicos na última década.

“As economias emergentes e em desenvolvimento exportadoras de energia têm-se empenhado em adaptar-se aos preços consistentemente baixos,” afirmou Ayhan Kose, Diretor do Grupo de Perspectivas do Grupo Banco Mundial. “Em parte devido aos fortes vínculos entre preços da energia e preços de produtos agrícolas básicos, os produtores agrícolas podem esperar preços mais baixos em uma era de preços de energia deprimidos. Tanto os países exportadores de energia como os países exportadores de produtos agrícolas básicos precisam intensificar iniciativas de diversificação econômica para impulsionar a resiliência às flutuações de preços dos produtos básicos.

Commodity Markets Outlook do Banco Mundial é publicada trimestralmente em janeiro, abril, julho e outubro. O relatório oferece uma análise de mercado detalhada dos principais grupos de produtos básicos, incluindo energia, metais, agricultura, metais preciosos e fertilizantes. As previsões de preços até 2025 de 46 produtos básicos figuram juntamente com dados de preços históricos.

Para obter informações mais detalhadas, favor consultar: http://www.worldbank.org/commodities

Contatos com a mídia:
Mark Felsenthal
tel : +1 (202) 458-0051
mfelsenthal@worldbank.org
Phil Hay
tel : +1 (202) 473-1796
phay@worldbank.org
For Broadcast Requests:
Huma Imtiaz
tel : +1 (202) 473-2409
himtiaz@worldbankgroup.org

RECURSOS

COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2017/011/DEC




Welcome