Esta página em:
  • Português

COMUNICADO À IMPRENSA

Banco Mundial e Procuradorias da Mulher premiam estudantes em 2º Concurso de Curta Documentário sobre a Lei Maria da Penha

11 de março de 2014

Seis vídeos de até cinco minutos foram escolhidos por júri técnico e popular

BRASÍLIA, 11 de março de 2014 – A cada hora e meia, uma mulher morre no Brasil vítima de violência doméstica. Para fomentar a discussão do problema nas escolas, o Banco Mundial, as Procuradorias da Mulher da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e a Bancada Feminina do Congresso promoveram o 2º Concurso de Curtas sobre a Lei Maria da Penha. Seis estudantes da rede pública e privada, e seus professores, serão premiados por seus trabalhos nesta quarta-feira, 12 de março, em cerimônia às 18h no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, com a presença de autoridades. 

Os vencedores são cinco estudantes do ensino médio, representando cada uma das regiões brasileiras, e uma estudante na categoria “Júri Popular”. Eles receberão um tablet e um certificado como prêmio. Também serão agraciados com troféus os seis professores responsáveis pela orientação dos trabalhos inscritos. 

“O Banco Mundial está com o Brasil neste caminho para transformar as conquistas femininas em desenvolvimento”, disse Deborah L. Wetzel, Diretora do Banco Mundial para o Brasil. “Estamos usando todos os instrumentos que dispomos para promover a igualdade de gêneros: de conhecimento técnico sobre o que funciona em questões de gênero a apoio institucional à Procuradoria da Mulher, com foco na promoção da legislação de gênero e seu monitoramento”. 

Os vídeos, com duração de até 5 minutos, contaram histórias inéditas relacionadas ao tema: “Violência contra a mulher, o que você tem a ver com isso? Grave um vídeo. Compartilhe com o mundo!”. Os trabalhos vencedores pela Comissão Julgadora serão exibidos nos veículos de comunicação da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, do Ministério da Educação e nas redes de comunicação dos parceiros, como o Banco Mundial, além de disponibilizados no portal www.curtamariadapenha.com.br.

Os ganhadores

Na Região Sul, o vencedor foi “Isso tudo me pertence”, da estudante Giovanna Conrado Quadros, de Campo Mourão (PR). Pelo Nordeste, o estudante Marcelo de Figueiredo Sant'Anna Júnior, de Santo Amaro (BA), foi o grande vencedor, com a obra “Mulheres, reajam!”. Mateus de Araújo Ribeiro, de Tracuateua (PA), levou o prêmio na Região Norte, pelo vídeo “Minhas atitudes coíbem a violência contra a mulher?”. No Sudeste, o agraciado foi o filme “Anistia”, de Renata da Costa Marques, de Sorocaba (SP). E no Centro-Oeste o vencedor foi Yan Carlos de Sousa, do Gama (DF), pelo curta “Poderia ser você”.

O vídeo "Violência contra a mulher: não compactuamos com isso", da estudante paranaense Gislaine Renata Vilhas Voas, foi o vencedor na categoria Júri Popular. O curta foi o mais votado na página oficial do concurso com 2.508 votos.

Comissão Julgadora

A Comissão Julgadora do Concurso foi integrada por representantes da Secretaria de Políticas para Mulheres e Secretaria da Juventude da Presidência da República, TV Câmara, TV Senado e União Brasileira de Estudantes Secundaristas. 

Apesar das conquistas alcançadas com a implementação da Lei Maria da Penha, em vigor há 7 anos e considerada pela Organização das Nações Unidas como uma das mais avançadas do mundo no combate à violência doméstica contra a mulher, dados divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), em setembro de 2013, revelam que, entre 2001 e 2011, mais de 50 mil mulheres morreram no Brasil vítimas de agressões dentro de casa.

São cerca de 5 mil mortes por ano, 15 por dia e uma mulher assassinada a cada uma hora e meia. Neste cenário, mulheres negras, com idades entre 20 e 39 anos e baixa escolaridade, são as maiores vítimas.

Ainda segundo dados da Secretaria, a Lei Maria da Penha havia propiciado, até 2011, a realização de 281.302 medidas protetivas; 196.023 inquéritos; 99.891 ações penais; 677.087 procedimentos judiciais, nas varas exclusivas de violência doméstica e familiar contra a mulher; além de 30 mil prisões; 26.269 flagrantes e 4 mil prisões preventivas.

O Banco Mundial tem apoiado a Procuradoria da Mulher através de uma doação de US$ 305 mil que vem permitindo à Procuradoria desenvolver uma base de dados para monitorar legislações sobre gênero e difundir processos de promoção da igualdade de gêneros e o aumento da capacidade técnica. 

Novas maneiras de trazer a discussão sobre questões de gênero em setores tradicionalmente masculinos, como transporte e mineração, também estão sendo exploradas. O Concurso de Curta Documentário sobre a Lei Maria da Penha é a mais recente iniciativa para tornar a igualdade entre os gêneros realidade. 


Para obter mais informações, visite: www.bancomundial.org.br

Visite-nos no Facebook: http://www.facebook.com/bancomundialbrasil

Atualize-se via Twitter: www.twitter.com/bancomundialbr 

Assista o nosso canal no YouTube: http://www.youtube.com/user/alcregion2010