Skip to Main Navigation
COMUNICADO À IMPRENSA 14 de Fevereiro de 2020

Banco Mundial Apoia Esforços de Moçambique Visando Aproveitar Seu Dividendo Demográfico

WASHINGTON, 14 de Fevereiro de 2020 - O Banco Mundial aprovou hoje uma subvenção no valor de 75 milhões de USD da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), em apoio aos esforços do Governo de Moçambique em alcançar o seu dividendo demográfico, aumentando o empoderamento, o acesso à educação e as oportunidades de emprego para jovens, especialmente meninas adolescentes e mulheres jovens.

"É com satisfação que noto que o nosso trabalho nesta importante frente concretiza-se com a aprovação deste projeto", observou Mark Lundell, Diretor do Banco Mundial para Moçambique. "Emponderar, educar e empregar a sua crescente população em idade ativa, assim como abordar a sua alta taxa de fertilidade, estão entre os desafios mais prementes de Moçambique.Este projeto providencia apoio necessário para abordar exatamente isso."

Moçambique tem um dos maiores índices de fertilidade da África Subsaariana, com taxas de casamento precoce e gravidez na adolescência entre as mais altas do mundo. A estrutura etária muito jovem de sua população pode tanto exacerbar a pobreza como aumentar a prosperidade. Na verdade, e apesar dos esforços do país em reduzir a pobreza, o número total de pessoas que vive na pobreza aumentou. Uma vez que a fertilidade é maior entre os pobres, a pobreza e a desigualdade entre as gerações podem piorar. Será importante que Moçambique acelere sua transição demográfica ao mesmo tempo que se esforça para educar e empregar sua população em idade ativa de forma a impulsionar o crescimento inclusivo e a redução da pobreza, disse Francisco Campos, Economista Sénior e co-líder de equipe do projeto. Meninas adolescentes e mulheres jovens, especialmente as vulneráveis, representam um grupo populacional chave para cumprir a promessa do dividendo demográfico”.

O financiamento e as actividades do projecto contribuirão para o seguinte: a) - emponderar indivíduos, famílias e comunidades, fornecendo informação sobre serviços de saúde sexual e reprodutiva, bem como serviços de apoio contra à violência baeada no género; abordar as normas sociais que mantém meninas e mulheres fora da escola e do trabalho; e providenciar apoio ao desenvolvimento de competências-para-a-vida em adolescentes, especialmente a rapariga; b) - educar adolescentes, abordando os nós de estrangulamento no que concerne o acesso, frequência e desempenho escolar das meninas; e, c) aumentar as oportunidades de emprego para as gerações atuais e futuras por meio de competições de plano de negócios e programas de desenvolvimento de habilidades. Isso será feito mediante o fornecimento de serviços para aumentar a produtividade dos trabalhadores informais assim como apoio à atividades de empreendedorismo com potencial para a criação de empregos.

“Estamos a adoptar uma abordagem holística para esse desafio único, abordando constrangimentos sociais e econômicos inter-relacionados, incluindo o mercado subjacente e as falhas institucionais que levam à altas taxas de fertilidade, o desempoderamento das meninas de baixa renda, os baixos investimentos em educação e saúde, assim como os empregos de baixa produtividade,” observou Indhira Santos, economista sênior e líder da equipe do projeto.

Além disso, o projeto contribuirá para uma melhor articulação e coordenação das políticas da juventude entre as agências governamentais e entre o governo e seus parceiros, assim como financiará programas de capacitação para instituições moçambicanas. Este projeto está em total alinhamento com a actual estratégia do Banco Mundial para Moçambique no período 2017-2021, designada Country Partnership Framework (CPF), apoiando as principais prioridades da estratégia como por exemplo a necessidade de investir em capital humano, bem como as suas metas transversais tais como a equidade do gênero.

 

* A Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), do Banco Mundial criada em 1960, ajuda os países mais pobres do mundo disponibilizando doações e empréstimos com baixos ou sem taxas de juros para projetos e programas que impulsionam o crescimento económico, reduzem a pobreza e melhoram a vida das pessoas pobres. A IDA é uma das maiores fontes de assistência para os 76 países mais pobres do mundo, 39 dos quais estão em África. Os recursos da IDA trazem mudanças positivas para 1,6 bilhão de pessoas que vivem nos países da IDA. Desde 1960, a IDA tem apoiado o trabalho de desenvolvimento em 113 países. Os compromissos anuais atingiram em média US $ 21 bilhões nos últimos três anos, com cerca de 61% destinado a África.


COMUNICADO À IMPRENSA Nº 2020/064/AFR

Contatos

Maputo
Rafael Saute
(+258) 21482300
rsaute@worldbank.org
Api
Api