REPORTAGEM

Brasil encontra soluções inovadoras para os gargalos na infraestrutura

11 de Novembro de 2014


Image

O apoio da MIGA ao projeto ajudará a tornar o sistema de transportes do estado de São Paulo mais confiável, seguro e resiliente a desastres naturais

Marcelo Camargo/ABr.

Com mais de 411 milhões de habitantes, o estado de São Paulo tem a maior população do Brasil. Embora a rede de transportes seja uma das mais desenvolvidas e mais modernas do país, ainda é insuficiente para atender às necessidades atuais e futuras do estado.

Há tempos o estado de São Paulo vem procurando solucionar essa situação e o Banco Mundial tem desempenhado um papel importante por meio de assistência financeira e técnica. Um elemento importante desse trabalho é o Projeto de Transporte Sustentável do Estado de São Paulo, que visa a reabilitar rodovias em várias pistas e reconstruir duas pontes.

No entanto, com um custo total estimado em US$ 729 milhões, o projeto enfrentava um grande obstáculo de financiamento.

Em setembro de 2013, o Banco Mundial aprovou um empréstimo de US$ 300 milhões para essa iniciativa. Porém, diante da demanda crescente de empréstimos por parte dos estados mais pobres do Brasil, o Banco Mundial não pôde comprometer-se a conceder fundos adicionais. O próprio estado de São Paulo comprometeu-se a entrar com US$ 129 milhões. Isso deixou um déficit de US$ 300 milhões.

O desafio enfrentado pelo projeto foi mobilizar os US$ 300 milhões necessários para concluir o projeto a um custo aceitável. O Banco Mundial e o Estado de São Paulo agiram rapidamente para encontrar uma solução.

Parceria bem-sucedida

“Examinando as necessidades de investimento do projeto e as restrições do volume de financiamento do Banco Mundial, sabíamos que tínhamos de procurar recursos no setor privado para oferecer uma solução financeira ao cliente,” afirmou Miguel Navarro-Martin, Chefe de Produtos Bancários da Tesouraria do Banco Mundial, que mobiliza recursos financeiros de fontes externas. 

Uma parceria com a Agência Multilateral de Garantia de Investimentos (MIGA), do Grupo Banco Mundial, foi uma solução natural. Além do seguro contra riscos políticos, a MIGA oferece produtos de melhoria do crédito que protegem os fornecedores do empréstimo caso uma empresa privada, de capital misto ou estatal deixe de pagar.

Com uma decisão inovadora, o estado de São Paulo fez uma licitação do projeto aos bancos comerciais com o requisito de que seus empréstimos fossem respaldados pelo instrumento de melhoria do crédito da MIGA. A presença de uma garantia da MIGA reduziria os riscos dos bancos comerciais, diminuindo por sua vez os custos financeiros do estado.

Resultado: a MIGA emitiu garantias ao Banco Santander da Espanha mediante um empréstimo de US$ 300 milhões. O apoio da MIGA a esse projeto ajudará a tornar o sistema de transportes do estado de São Paulo mais confiável, seguro e resiliente a desastres naturais.

“O Santander orgulha-se em participar deste projeto – com o apoio do Banco Mundial e da MIGA –, o qual contribuirá para melhorar a segurança e a eficiência dos transportes e da logística do estado de São Paulo, bem como a gestão de risco de desastre”, afirmou Octaviano Couttolenc Mestre, chefe global de Financiamento de Exportações e Agências de Crédito do Banco Santander.

No conjunto, os empréstimos ao Santander apoiados pela MIGA e o empréstimo do Banco Mundial financiarão a recuperação e a melhoria de 650 quilômetros de estradas e a reconstrução de duas pontes para transporte fluvial interno no Rio Tietê.

Essas melhorias reduzirão os custos de logística em benefício da indústria local e regional. O estado também prevê que o projeto aumente o emprego e a remuneração em uma área geográfica mais ampla.



" São Paulo tem continuamente inovado para superar os gargalos da infraestrutura, tornando-se muitas vezes um modelo para outros estados do Brasil – e o uso das garantias da MIGA neste projeto mantém essa tradição "

Deborah Wetzel

diretora do Banco Mundial para o Brasil


Situação “ganha-ganha”  

O projeto permitiu à MIGA entrar na transação posterior, evitando muitos dos custos normais de fazer negócios. A equipe de transportes do Banco Mundial já estabeleceu a devida diligência, salvaguardas e monitoramento. Isso criou uma oportunidade para a MIGA reduzir o prêmio cobrado de um banco privado – e, em última análise, pago pelo estado de São Paulo.

Com a melhoria do crédito da MIGA, o custo do empréstimo comercial foi menor, e o prazo, mais longo do que o estado de São Paulo poderia ter conseguido por si próprio.  O financiamento adicional será usado para ampliar o escopo das atividades do projeto.

E mais importante: a participação do Grupo Banco Mundial permitiu ao Banco Santander contabilizar o risco da transação como exposição do Banco Mundial/MIGA e não como exposição do estado de São Paulo. Isso os ajudou a preservar a linha de crédito para outras operações no Brasil.

“Esse projeto mostra os novos produtos da melhoria de crédito e os benefícios de maior cooperação do Grupo Banco Mundial”, afirma Edith Quintrell, diretora de Operações da MIGA.

Deborah L. Wetzel, diretora do Banco Mundial para o Brasil, comenta: “São Paulo tem continuamente inovado para superar os gargalos da infraestrutura, tornando-se muitas vezes um modelo para outros estados do Brasil – e o uso das garantias da MIGA neste projeto mantém essa tradição”.


Api
Api