COMUNICADO À IMPRENSA

Navegando Preços Baixos: Actualidade Económica de Moçambique

3 de maio de 2016


MAPUTO, 03 de maio de 2016 – Após vários anos consecutivos de crescimento acelerado, o desempenho económico de Moçambique abrandou para o seu ritmo mais lento desde 2009, e a economia continua cada vez mais exposta a elevados níveis de riscos fiscais, de acordo com Actualidade Económica de Moçambique ora em divulgação. Embora as perspectivas económicas de Moçambique permaneçam sólidas, é importante estabelecer uma política sólida para gerir as pressões de curto prazo e criar as bases para o crescimento futuro. O relatório abrange o período até Março de 2016.

Desenvolvimentos Económicos Recentes e Perspectivas

Semelhante a outros países ricos em recursos, a economia Moçambicana continua a enfrentar os desafios de baixos preços de matérias-primas e fraca demanda entre os parceiros comerciais, bem como da seca regional. Estas condições difíceis são ainda agravadas pela queda dos níveis de investimento e aumento da dívida pública. Em 2015, o investimento directo estrangeiro caiu 24 por cento, as exportações diminuíram em 14 por cento e o crescimento do PIB caiu para 6,3 por cento, atingindo seu nível mais baixo desde 2009.

Prevê-se que o ambiente externo adverso continue ao longo de 2016. O relatório antecipa um declínio contínuo dos preços das principais exportações, a presente seca e mais aperto na carga fiscal irão desacelerar ainda mais o crescimento do PIB para 5,8 por cento em 2016, antes de recuperar para um nível acima de 7 por cento em 2017. Esta perspectiva está sujeita a mais risco de queda se os níveis de investimento permanecerem baixos e se o aumento dos níveis da dívida conduzirem a um incontestável ajuste das políticas fiscal e monetária.

"As pressões de curto prazo em 2016 apontam para a importância do reequilíbrio da posição externa, a reconstrução das reservas internacionais e garantia das decisões finais de investimento para o desenvolvimento dos campos de gás na bacia do Rovuma ." explicou Shireen Mahdi, Economista Sénior do Banco Mundial para o País.

Embora as pressões económicas de curto prazo sejam acentuadas, a Actualidade Económica de Moçambique (MEU) aponta que as previsões económicas do país permanecem sólidas.

Foco Especial Sobre o Risco Fiscal

O relatório inclui também uma secção especial de foco no investimento público e risco fiscal decorrente da dívida pública, garantias, empresas públicas e das parcerias público-privadas. Moçambique tem vindo a intensificar substancialmente o investimento público nos últimos anos. O financiamento deste tem sido manifestado em várias formas. No entanto, o passivo tem-se acumulado a um ritmo rápido, enquanto os mecanismos de due diligence para governá-los de forma mais eficiente continuam ultrapassados. O relatório destaca a necessidade de melhorar o acompanhamento, a divulgação e gestão da dívida e riscos fiscais. Estes esforços devem ser complementados por medidas destinadas a melhorar a capacidade do governo para avaliar e gerir os investimentos.

“Será cada vez mais importante que as autoridades garantam uma avaliação completa dos riscos fiscais do país e aumentem a transparência através de uma maior divulgação." Destacado Mark R. Lundell, Director do Banco Mundial para Moçambique, Madagascar, Mauritius, Seychelles and Comoros.

Contatos com a mídia:
Em Maputo
Rafael Saute
tel : (258) 21482300
rsaute@worldbank.org
Em Washington
Aby Toure
tel : 202 473 8302
Akonate@worldbank.org


COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2016/366/AFR

Api
Api