COMUNICADO À IMPRENSA

O Banco Mundial une-se às Nações Unidas para liderar a iniciativa de levar eletricidade e combustíveis sustentáveis aos pobres do mundo

24 de setembro de 2012

NOVA YORK, 24 de setembro de 2012 – Comprometendo-se a prestar assistência para solucionar um problema que afeta mais de um bilhão de pessoas assoladas pela pobreza, o Dr. Jim Yong Kim, Presidente do Grupo Banco Mundial, anunciou hoje que o Banco Mundial se unirá à iniciativa das Nações Unidas destinada a aumentar o acesso à eletricidade e combustíveis domésticos limpos para as pessoas de baixa renda. Essa iniciativa também ampliará a energia renovável e aumentará a eficiência energética.

O Dr. Kim copresidirá, juntamente com o Sr. Ban Ki-moon, Secretário-Geral da ONU, um conselho assessor de múltiplos interessados que proporcionará orientação estratégica à iniciativa Energia Sustentável para Todos, lançada por Ban Ki-moon no outono setentrional do ano passado. Uma resolução da Assembleia Geral da ONU designou 2012 como o ano dedicado à energia sustentável para todos.

“Pôr fim à pobreza e assegurar a sustentabilidade são os desafios que definem os nossos tempos”, afirmou Kim. “A energia é central para ambos.”

Cerca de 1,3 bilhão de pessoas não tem acesso à eletricidade e 2,7 bilhões dependem da lenha, carvão de lenha, estrume e carvão vegetal para cozinhar refeições e aquecer as casas.

O Dr. Kim elogiou o Secretário-Geral da ONU por sua “visão corajosa e liderança” ao enfrentar esse desafio. A iniciativa Energia Sustentável para Todos insta os governos, empresas e sociedade civil a alcançarem três metas até 2030: obter acesso universal à energia, incluindo eletricidade e combustíveis modernos para cozinhar e aquecer; dobrar a parcela renovável de energia produzida e consumida de 15% para 30%; e dobrar a taxa de melhoria da eficiência energética.

“Proporcionar energia sustentável para todos poderá ser a melhor oportunidade do século XXI,” afirmou o Secretário-Geral. “A energia sustentável é a fio condutor que conecta o crescimento econômico, a equidade social, clima e meio ambiente que permitem ao mundo prosperar. Essa iniciativa está reunindo governos, setor privado e sociedade civil em uma parceria que está produzindo resultados reais.”

O Dr. Kim comprometeu o Grupo Banco Mundial a mobilizar seus conhecimentos e perícia em políticas para aumentar o impacto de seu financiamento e projetos de energia, os quais nos últimos dois anos superaram US$ 8 bilhões.

Especificamente o Grupo Banco Mundial prestará assistência técnica para ajudar vários países a desenvolver programas abrangentes de acesso à energia. O Grupo Banco Mundial também procurará alavancar fundos adicionais conseguindo pelo menos US$ 2 de financiamento de outras fontes para cada US$ 1 fornecido pelo Banco Mundial. Fará parceira com instituições multilaterais, órgãos bilaterais e investidores do setor privado.

“É uma grande coalizão, semelhante a impulsionar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio,” afirmou o Dr. Kim. “Doadores, países de renda média e países de baixa renda assumirão compromissos de acordo com as capacidades e recursos respectivos. Cada país, empresa, organização e indústria contribuirão de maneira própria – seja aumentando o financiamento, novos incentivos de políticas, novos métodos ou tecnologias ou novas parcerias.”

Até agora 61 países optaram por fazer parte da iniciativa, ao passo que empresas, investidores e doadores se comprometeram a um total de US$ 50 bilhões para alcançar as três metas da iniciativa.

 

 

Contatos com a mídia:
Em Washington

Christopher  Neal
tel : (202) 473-2049

COMUNICADO À IMPRENSA Nº
2013/072/SDN